Pesquisar este blog

Compartilhe



sexta-feira, 7 de abril de 2017

Dia 33 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

33º Dia – Sexta-feira, 7 de abril: MERGULHAR “Ignorais que todos os que fomos batizados em Jesus Cristo, fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele na sua morte pelo batismo para que, como Cristo ressurgiu dos mortos pela glória do Pai, assim nós também vivamos uma vida nova.” (Rm 6, 3-4) “Banhados em Cristo, somos uma nova criatura. As coisas antigas já se passaram, somos nascidos de novo.” No tempo pascal, entoamos repetidamente este mantra, renovando a consciência de que fomos mergulhados na morte de Cristo para ressuscitarmos na plenitude de sua vida. Pelo Batismo, já somos participantes desta tremenda graça, “mas ainda não se manifestou claramente o que havemos de ser” (1Jo 3, 2). Mas isto certamente não nos dispensa de a ela corresponder e buscá-la no cotidiano, pois ainda existem e resistem em nós raízes de amargura que, se não arrancadas podem nos fazer mergulhar num “danoso quarteto de M’s” (medo, mediocridade, melancolia, murmuração): “Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus; que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando muitos” (Hb 12, 15). E contamina mesmo: a pessoa e quem está por perto. Ninguém conclua muito rapidamente que dela está isento. As raízes de amargura crescem em nós porque são regadas por águas amargas. Foi o que aconteceu com o povo de Israel (confira no texto bíblico recomendado à sua meditação). Para tanto, é necessário que nas águas dos lençóis freáticos de nossa alma seja mergulhado o madeiro da Cruz que tem o poder de saná-las. Percebe como não dá para fcar se gabando de que já se foi mergulhado em Cristo pelo Batismo e que tudo está pronto? É preciso permanecer mergulhado no Espírito, ou seja, continuamente batizado no Espírito . Medite em Êxodo 15, 22-27 Reze: Mergulha-me mais e mais em teu Espírito, Senhor! *Dia de Jejum

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

Nenhum comentário:

Postagens populares

Google Plus


Google+
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...