Pesquisar este blog

Compartilhe



terça-feira, 4 de abril de 2017

Dia 30 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

30º Dia – Terça-feira, 4 de abril: CONFRONTAR “... se vos mordeis e vos devorais, vede que não acabeis por vos destruirdes uns aos outros.” (Gl 5, 15) O dicionário conceitua o verbo confrontar da seguinte forma: verbo transitivo direto e pronominal > estar defronte, ser fronteiro a (“nossa casa confronta o lago”); transitivo indireto > fazer fronteira com; limitar-se, confnar (“nossas terras confrontam com a estrada de ferro”). Pode parecer uma diferença muito sutil entre um signifcado e outro, mas leia novamente. Quando se pensa nos relacionamentos que temos, incluindo com nós mesmos, vivemos esse confrontar como um estar diante do outro (defronte) ou no sentido de limitado, confnado entre as fronteiras do que cada um é? Quando se confronta, no primeiro sentido, descobre-se que o outro é diferente, mas também semelhante a nós; quando é a segunda acep- ção que prevalece, o que vige é a postura expressa por frases como esta: sua liberdade termina onde a minha começa. Confrontos, então, tornam-se confitos. Parece-me que a forma como superamos os confitos e criamos pontes de fraternidade com o outro, é quando o confrontar é vivenciado, como estar defronte o outro com respeito, aceitação e amor. O que tem sido para você confrontar? Medite em Filipenses 2, 1-5 Reze: Amoriza todos os meus relacionamentos, Senhor!

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

Nenhum comentário:

Postagens populares

Google Plus


Google+
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...