Pesquisar este blog

Compartilhe



domingo, 30 de abril de 2017

Sementes de fé - 30/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco".

Muitas vezes, nos sentimos como os discípulos de Emaús: desiludidos diante de tudo que nos rodeia. Parece que andamos sozinhos, desamparados e sem rumo. Nesses momentos nos perguntamos ou questionamos a presença de Deus. Experimentamos o silêncio de Deus.

Nessas situações, o padre Zezinho, nos responde com poesia e música:

"Não te entendo, meu Senhor! Nos caminhos mais difíceis, eu não vejo as tuas marcas. Por que me deixaste só? Jesus respondeu: Os passos são só meus, mas jamais te abandonei. É que nos momentos mais difíceis de viver, nos meus braços te levei".

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

sábado, 29 de abril de 2017

Sementes de fé - 29/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco".

Ao longo de nossa vida, Jesus nos tem feito ver que os problemas estão, muitas vezes, acima da nossa capacidade. Pede-nos para não considerarmos apenas os recursos humanos, pois podem nos levar ao pessimismo, mas que contemos com Ele e seu poder.

Porém, não podemos deixar de mobilizar todos os meios humanos ao nosso alcance, pois a graça de Deus não prescinde da natureza. Não podemos pedir a Deus ajudas extraordinárias quando, pelos canais ordinários, Ele nos colocou nas mãos os instrumentos de que necessitamos.

Alerta-nos Santo Tomás: uma pessoa que não se esforçasse por fazer o que está ao seu alcance, esperando todas as coisas do auxílio divino, tentaria a Deus, e a graça divina deixaria de atuar nela.

Portanto, façamos tudo que depende de nós, entregando-nos nas mãos de Deus.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Sementes de fé - 28/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco".

Os Apóstolos foram proibidos pelo Sinédrio de proclamar a Boa Nova da Salvação: "Importa obedecer antes a Deus do que aos homens" (At. 5,29).

Os Apóstolos não agiram por orgulho, nem por desconhecimento de seus deveres sociais para com a autoridade legítima. Eles se opõem a uma ordem injusta, que atenta contra a lei de Deus.

Hoje em dia, vivemos em meio a correntes de opinião, de doutrinas, de ideologias, de teorias muito diferentes sobre o respeito e a dignidade do ser humano e da vida. Precisamos estar atentos para encarar tudo com a visão cristã da vida.

Supliquemos a Deus a fortaleza e a convicção dos Apóstolos.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

 

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Sementes de Fé - 27/04/2017

Querida família, “A Paz esteja convosco”.
“Amor com amor se paga”. Mas há de ser um amor efetivo, que se manifeste em atos concretos, nos cumprimentos dos nossos deveres para com Deus e para com os outros, ainda que o sentimento esteja ausente, ao ponto de agirmos a contragosto.
No serviço a Deus, devemos nos deixar conduzir pela fé, nunca pelos estados de ânimo, isto é,  sentimentos e simpatias. O mal não está no sentimento, mas na importância que lhe damos.
Portanto, “amemo-nos uns aos outros, como Deus nos ama”.
Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Sementes de Fé - 26/04/2017

Querida família, “A Paz esteja convosco”.
“Aquele que não poupou o seu próprio Filho, como não nos dará também com Ele todas as coisas”? (Rm 8,32).
A entrega de Cristo constitui um apelo urgente para que correspondamos a esse amor: fomos criados à imagem e semelhança de Deus, e Deus é amor. Por isso o coração do homem foi feito para amar, e, quanto mais ama, mais se identifica com Deus.
O amor de Deus por nós e vice-versa é um amor de mútua amizade. E uma das características próprias da amizade é o trato. Para amar o Senhor, é necessário conhece-lo, conversar com Ele. Conhecemo-lo quando meditamos a sua vida nos Evangelhos; conversamos com Ele quando oramos.
Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

terça-feira, 25 de abril de 2017

Sementes de fé - 25/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco".

A caridade une, o orgulho separa. Os primeiros cristãos manifestavam o seu amor à Igreja de Cristo mediante a prática de uma caridade que venceu todas as barreiras sociais, econômicas, raciais e culturais. E todos rezavam uns pelos outros.

Nós também levaremos o mundo a Deus, se soubermos imitar os primeiros cristãos na sua compreensão e estima por todos, ainda que às vezes não sejamos correspondidos. E fortaleceremos na fé os que fraquejam, mediante o exemplo, a palavra e um trato sempre amável e acolhedor.

"O irmão ajudado por seu irmão é como uma cidade murada" (Prov. 18,19).

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Sim a Deus não ao Demônio

Jesus se manifestou para destruir toda as obras do demônio

“Aquele que peca é do demônio, porque o demônio peca desde o princípio. Eis por que o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do demônio.” (IJo 3, 8)
Jesus veio a este mundo e se manifestou para destruir as obras do demônio, e justamente por isso que Ele vai até a cruz. Não dá para imaginar o quanto Jesus sofreu, e sofreu muito, tudo fruto da sua obediência ao Pai. Por isso, que Ele suou sangue naquela noite no Horto das Oliveiras: “Pai afasta de mim este cálice, mas não faça o que eu quero e sim o que tu queres.” Não podemos viver justificando os pecados, nos acostumar e ainda ajudar a outros: ‘Ah, isso não é pecado!’ Tornando-se assim um hábito viver no pecado. E, foi por este motivo que Jesus se manifestou para destruir toda as obras do demônio.

Vemos no Antigo Testamento o fato de Absalão, o filho muito querido de Davi querer matar o Pai por causa do trono. Foi porque Davi pecou, adulterando com Betsabé, esposa de Urias – um valente guerreiro da sua tropa de ‘Elite’. Depois de ter pecado, Davi para se justificar chama Urias para jantar com ele, embriaga-o e manda-o ir para casa dormir com a sua esposa para não desconfiar que ‘Betsabé’ estava grávida dele [Davi], mas Urias sendo obediente, temente a Deus e a seu rei, dormiu do lado de fora para proteger o rei diante do inimigo. Davi comete outro pecado mandando Urias para frente da batalha. Urias morre e Davi homenageia-o ‘descaradamente’, tomando Betsabé como esposa.
Natã, profeta de Deus é enviado a Davi para que pudesse ter com ele,  arrependendo sobe à montanha para pedir perdão. Quando Semei filho de Gera, em ISm 19,16 aparece praguejando Davi, os soldados queriam cortar a cabeça deste homem, mas, Davi reconheceu o seu pecado não permitindo nenhum mal a ele. Este homem aqui, é o demônio que vem e te acusa diante do pecado que cometeu, perturbando sua cabeça, mas, o Deus que Davi servia é misericordioso, por isso ele foi perdoado.
Veja o que o demônio faz com as pessoas; primeiro ele nos tenta levar ao pecado, depois nos oprime, e não conseguimos sair do pecado porque há uma opressão. A pessoa começa escutar vozes, começa a ver ‘coisas’, e o inimigo acaba possuindo aquela pessoa. Não pense que é história, que a parapsicologia tenta explicar e com desculpas, deixamos nossos irmãos padecerem assim, esquecendo-nos que Jesus se manifestou para revelar as obras do demônio.
Irmãos e irmãs em grandes quantidades continuam sendo possuídos na ignorância, e eis o motivo pelo qual o Filho do homem veio; para destruir as obras das trevas. Escape o mais depressa possível e não deixe para depois, para que você hoje dê o passo decisivo em ser o Senhor, único Deus e Salvador de tua vida.
Seu irmão,
Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

http://padrejonas.cancaonova.com/informativos/noticias/sim-deus-nao-ao-demonio/

São Marcos Evangelista

Nos livros do Novo Testamento, Marcos é lembrado dez vezes, com nome hebraico de João, com o nome romano de Marcos ou com duplo nome de João Marcos. Para alguns estudiosos deveríamos distinguir dois ou mesmo três Marcos. Nós, a esta altura, aceitamos a opinião mais comum, isto é, a de um só Marcos, filho daquela Maria em cuja casa reuniam-se os primeiros cristãos de Jerusalém e onde foi se refugiar o próprio Pedro após a libertação prodigiosa do cárcere.

Marcos, judeu de origem, nasceu provavelmente fora da Palestina, de família abastada. São Pedro, que o chama “meu filho”, o teve certamente consigo em suas viagens a Roma, onde Marcos escrevera o Evangelho. A antiguidade cristã, a começar por Pápias, chama-o “intérprete de Pedro”, “Marcos, intérprete de Pedro, escreveu exatamente tudo aquilo de que se lembrava. Escreveu, porém, o que o Senhor disse ou fez, não segundo uma ordem. Marcos não ouviu diretamente o Senhor, nem o acompanhou; ele ouviu são Pedro, que dispunha seus ensinamentos conforme as necessidades”.

Além da familiaridade com são Pedro, o evangelista Marcos pôde orgulhar-se de longa convivência com o apóstolo são Paulo, com quem se encontrou pela primeira vez em 44, quando Paulo e Barnabé levaram a Jerusalém a generosa coleta da comunidade de Antioquia. De volta, Barnabé levou consigo o jovem sobrinho Marcos. Após a evangelização de Chipre, quando Paulo planejou uma viagem mais trabalhosa e arriscada ao coração da Ásia Menor, entre as populações pagãs do Tauro, Marcos – conforme lemos nos Atos dos Apóstolos – “se separou de Paulo e Barnabé e voltou a Jerusalém”. Depois Marcos voltou ao lado de Paulo quando este estava prisioneiro em Roma.

Em 66 são Paulo nos dá a última informação sobre Marcos, escrevendo da prisão romana a Timóteo: “Traga Marcos contigo. Posso necessitar de seus serviços”. Os dados cronológicos da vida de são Marcos permanecem duvidosos. Ele morreu provavelmente em 68 de morte natural, segundo uma tradição e, conforme outra tradição, foi mártir em Alexandria. As Atas de Marcos, escrito da metade do século IV, referem que Marcos, no dia 24 de abril, foi arrastado pelos pagãos pelas ruas de Alexandria, amarrado com cordas ao pescoço. Jogado ao cárcere, no dia seguinte, sofreu o mesmo tormento atroz e sucumbiu. A venda do seu corpo por dois comerciantes e mercadores de Veneza não passa de lenda (828). Porém, é graças a essa lenda que, de 976 a 1071, foi construída a estupenda basílica veneziana dedicada ao autor do segundo Evangelho, simbolizado pelo Leão.

Um santo para cada dia – Paulus Editora

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Não se afaste do Senhor!

Independente de nossos pecados, não nos afastemos do Senhor

Márcio Mendes, na manhã desta segunda-feira, dia 24 de abril de 2017, no programa ‘Sorrindo pra Vida’, orienta-nos a não nos afastarmos do Senhor, e, independente de nossos pecados, ficarmos sempre na presença d’Ele.
A Palavra meditada está em I Samuel 12,20-25:Samuel disse então ao povo: “Não tenhais medo! É verdade que cometestes um grande erro. Somente não vos afasteis do Senhor, mas servi-o de todo o coração. E não vos desvieis para entregar-vos a ídolos de nada, sem utilidade e incapazes de salvar, pois nada são. Certamente, o Senhor não se esquecerá do seu povo, em consideração a seu grande nome, pois o Senhor decidiu fazer de vós o seu povo. Quanto a mim, longe de mim que eu venha a pecar contra o Senhor deixando de orar por vós e de vos mostrar o caminho bom e reto. Temei somente ao Senhor e servi-o na verdade e de todo o coração, pois vistes as coisas grandiosas que realizou entre vós. Mas se perseverardes no mal, vós e o vosso rei perecereis”.

O pecado nos afasta de Deus, e à medida que ficamos longe d’Ele, o medo se apodera do nosso coração. Nossa ofensa ao Senhor foi grande? Não nos afastemos d’Ele, porque pecamos, mas, pelo contrário, coloquemo-nos a servi-lo de todo o coração.
Gênesis nos conta a história de Adão e Eva para compreendermos uma grande verdade, homem e mulher pecaram por sua escolha, e por vergonha de seu pecado se esconderam de Deus.

Servir ao Senhor de todo o coração

O maior erro que podemos ter nesta vida é fugirmos do Senhor. Não sabe viver quem não sabe rezar. Reza-se como se vive e vive-se como se reza. É pela oração que voltamos para Deus.
Vive mal quem tem o coração ruim. Não sabe viver quem não sabe rezar. Como é bom vermos mudança nas pessoas! Mas sem a oração a pessoa se deixa guiar pela vaidade, a qual não serve para nada.
A palavra vaidade significa vazio, e sem oração somos guiados pelo vazio. Coloquemos Deus no centro de nossa vida, para que não vivamos tristes ou sozinhos. Sem a oração não conseguimos dar boas coisas. O maligno é um estrategista e nos ataca por todos os lados.
Que posamos orar por aqueles que amamos. A oração é o momento que pedimos para Deus aquilo que nos falta. O Senhor é fiel e não permite que sejamos tentados acima de nossas forças. A tentação vem para nos desanimar.
Deus fará com que tenhamos tudo a nosso favor para suportar e vencer. A vontade de desistir está grande? Aguentemos firmes, pois somos do Senhor e Ele não se esquece de nós nem nos esquecerá.

Persevere em Deus

Com Deus podemos tudo, mas precisamos cooperar com Ele. Se Ele nos aponta um caminho e vamos para outro, de nada adianta declararmos que podemos tudo n’Aquele que nos fortalece, pois não estamos caminhando em Sua vontade. Se não nos unirmos a Deus, nossa vida se afundará.
Quem reza não é pego de surpresa pelo mal ou pelo inimigo. Escolher o mal é querer a derrota, o fracasso e a destruição. Perseverar no mal não se trata de cair no mal por descuido, mas sim por insistência de querer estar fazendo o mal.
O coração de pedra nos puxa para baixo. O que nos salvará do erro é não nos afastarmos do Senhor, pois Ele não se esquece de nós.
Márcio MendesMissionário da Comunidade Canção Nova

O Espírito Santo nos dará força

Precisamos ser sempre mais impregnados pelo Espírito Santo

O poder de Deus está em nosso alcance. Se os cristãos soubessem que o poder de Jesus está conosco, poderíamos transformar, curar, libertar do vício, transformar pessoas, famílias, estruturas, sociedades… Detemos a mais poderosa energia do mundo, o mais poderoso poder do mundo, e não o usamos.
“O fruto do Espírito, porém, é: amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, lealdade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não existe lei” (Gl 5,22-23).
Por isso o Senhor quer que a Renovação se revigore e seja mais e mais transformada pelo Espírito Santo. Recebemo-lo em nosso batismo, mas precisamos ser sempre mais impregnados pelo Espírito Santo, para sairmos dos comodismos e sermos testemunhas do Senhor.
É preciso levar ao mundo o maravilhoso poder de Deus, o poder mais impressionante que a Terra já viu, o poder de Jesus posto à disposição dos cristãos e da Igreja.
Seu irmão,
Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova


Sementes de fé - 24/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco".

No primeiro dia da semana, domingo, dois discípulos de Jesus iam para um povoado chamado Emaús. Enquanto conversavam sobre as coisas que tinham acontecido, Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles, explicando-lhes todas as passagens da Escritura que falavam a respeito dele. Ao pararem para uma refeição, Jesus tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e lhes distribuiu. Somente na fração do pão, eles reconheceram Jesus.

O símbolo, no sentido próprio da palavra, é o reconhecimento de uma presença e relação. É uma presença e relação que se tornam dinâmica e viva. A Eucaristia é justamente esta fração do pão que nos envolve na Vida Redentora de Jesus Ressuscitado.

Valorizemos a Missa Dominical, o grande tesouro identificador da nossa fé.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

domingo, 23 de abril de 2017

Sementes de fé - 23/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco".

"Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: a paz esteja convosco". Será que foi apenas uma saudação? Não só, mas, principalmente a transmissão de sua presença ressuscitada, pois, Ele é a própria Paz.

Doravante, podemos enfrentar, com coragem e serenidade, as dificuldades e os desafios que nos envolvem a cada dia. Por isso, supliquemos a Paz de Cristo. Cultivemos ao nosso redor o bom humor do Espírito Santo, refutando qualquer expressão de violência e animosidade.

Neste domingo da Divina Misericórdia, exclamemos com o salmista: "Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom; eterna é a sua misericórdia".

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

sábado, 22 de abril de 2017

Sementes de fé - 22/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco"!

O túmulo vazio de Jesus evoca a Ressurreição, o Cristo ressuscitado, ausente do "local de morte", da escuridão do túmulo. Cristo venceu a morte ao ressuscitar dos mortos.

O túmulo vazio é um símbolo. Ele relembra aquele dia – o primeiro da semana, o domingo – em que três mulheres, pertencentes ao grupo de discípulos que seguia Jesus, foram ao túmulo com unguentos e ervas para preparar o corpo do Mestre, segundo os costumes judaicos. Porém, ao chegar ao sepulcro, viram que a grande pedra que o fechava tinha sido removida, deixando a passagem livre. Entraram e constataram, então, que o corpo de Jesus não estava lá.

"Por que procuram entre os mortos aquele que está vivo? Jesus ressuscitou, como havia dito".

A propósito, o coelhinho é símbolo da Páscoa, porque é um dos primeiros animais que saem das tocas ao chegar a primavera, após um longo inverno de recolhimento.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Sementes de fé - 20/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco"!

O ovo é um símbolo de vida nova, de vida que está para nascer; é um símbolo de começo. Daí sua associação à Páscoa: a Ressurreição de Jesus também indica o princípio de uma nova vida, a redenção da própria humanidade e a promessa de um futuro de alegria e felicidade para os que têm fé e esperança.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Sementes de fé - 19/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco"!

Na Vigília Pascal, acendemos o Círio, aquela vela grande e grossa. E estando a igreja ainda às escuras, adentramos na igreja com nossas velas, cantando: "Eis a Luz de Cristo"! Ao vermos a chama luminosa do Círio, realidade sensível, enxergamos, à luz da fé, a realidade invisível, Cristo, Luz da Vida. O símbolo é, portanto, esta modalidade de presença. 

No círio, há as letras gregas – o alfa e o ômega -, a primeira e a última daquele alfabeto. O alfa representa o princípio e o ômega, o fim, como Jesus nos disse: "Eu sou o princípio e o fim".

Na grande vela, há ainda a indicação dos quatro algarismos do ano em curso, simbolizando a presença viva de Jesus junto a todos os povos do mundo, com união de fé e de esperança.

"A Luz de Cristo que ressuscita resplandecente dissipe as trevas de nosso coração e de nossa mente".

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

 

terça-feira, 18 de abril de 2017

Sementes de fé - 18/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco"!

É comum ouvir dizer: "isto é só simbólico", ou seja, não é real. Esta falsa compreensão do sentido simbólico da realidade tem graves consequências, pois limita tudo à percepção meramente material. Muitas vezes, se reduz o sentido simbólico àquele alegórico, figurativo. É como se fosse sinônimo de fantasia.

Porém, sem a comunicação simbólica, a linguagem humana perde toda a sua sublimidade, espiritualidade e transcendência. Na verdade, o símbolo parte de uma realidade sensível, um conteúdo específico, remetendo-o a uma realidade insensível. A própria linguagem diária está impregnada de teor simbólico.

Portanto, sem ela corremos o risco de não compreender a linguagem bíblica, a ritualidade litúrgico-sacramental e outras sublimidades da expressão humana.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Sementes de Fé - 17/04/2017

Dia 17 de abril – segunda-feira – O Cordeiro de Deus.

Querida família, “A Paz de Cristo”.

O cordeiro é o mais antigo símbolo da Páscoa. Ele foi o símbolo da Primeira Aliança entre Deus e Moisés. O cordeiro da Nova e eterna Aliança é o próprio Jesus, o Filho do Deus Altíssimo.

Ao instituir a Páscoa eterna, Jesus disse que o pão simbolizava seu corpo e o vinho, seu sangue, mas que o cordeiro era Ele próprio, com seu sangue derramado na cruz, como vítima oferecida em sacrifício pela humanidade.

O Domingo é o Dia do Senhor, a festa da Páscoa semanal. Jesus, o Cordeiro Imolado, que tira os pecados do mundo, se nos oferece com Ele ao Pai, para renovarmos a aliança de amor e fidelidade.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

A Eucaristia é remédio para quem está em pecado mortal?

O ato de aproximarmo-nos da Eucaristia com uma consciência manchada pelo pecado mortal nunca poderá chamar-se "Comunhão", ainda que toquemos mil vezes o corpo do Senhor.

 

O Doutor Angélico, ao falar do sacramento da Eucaristia, ensina que este é o maior de todos os sacramentos, porque, "ao passo que nos outros sacramentos está contida uma certa virtude instrumental participada de Cristo", "nele está contido o próprio Cristo substancialmente" [1]. Por esse motivo, a Igreja sempre prestou a este sacramento o culto de adoração, reconhecendo que, debaixo do véu das espécies eucarísticas, estava escondido, realmente, ninguém menos que o próprio Deus.

Ao falar de "comunhão", então, é preciso reconhecer, com coragem, o primado de Deus. Na celebração da Santa Missa, quando os fiéis se aproximam da mesa eucarística, devem ter em mente que aquele ato de "comunhão" é apenas um sinal visível de algo que já acontece invisivelmente em sua alma, em estado de amizade com o Senhor. São João Paulo II ensina que "a integridade dos vínculos invisíveis é um dever moral concreto do cristão que queira participar plenamente na Eucaristia, comungando o corpo e o sangue de Cristo". E acrescenta: "Não basta a fé; mas é preciso perseverar na graça santificante e na caridade" [2].

Por isso o Apóstolo já advertia à comunidade de Corinto que se examinasse antes de aproximar-se da Eucaristia, pois "quem comer o pão ou beber do cálice do Senhor indignamente será réu do corpo e do sangue do Senhor" [3]. Na mesma linha, São João Crisóstomo levantava a sua voz, pedindo aos fiéis que não se abeirassem "desta Mesa sagrada com uma consciência manchada e corrompida": "De fato, uma tal aproximação nunca poderá chamar-se comunhão, ainda que toquemos mil vezes o corpo do Senhor, mas condenação, tormento e redobrados castigos" [4]. O Concílio de Trento corroborou este costume da Igreja, afirmando que "é preciso um exame para que ninguém, por mais contrito que ele considere, se aproxime da sagrada Eucaristia sem antes confessar sacramentalmente, caso esteja consciente de algum pecado mortal" [5].

Hoje, no entanto, algumas pessoas têm, senão negado esse ensinamento, pelo menos obscurecido sua importância. Tratam a Eucaristia com irreverência e desrespeito, distribuem a comunhão como quem distribui qualquer coisa no meio da rua e querem porque querem que todas as pessoas comunguem, mesmo que nem todas estejam verdadeiramente em comunhão com Cristo, isto é, em estado de graça.

Não se quer, com isso, negar o grande dom que é participar da comunhão frequente, nem criar uma "casta" dentro da Igreja, transformando-a numa "alfândega". Como escreveu o Papa Francisco, "a Eucaristia (...) não é um prêmio para os perfeitos, mas um remédio generoso e um alimento para os fracos" [6]. E ainda Santo Ambrósio: "Devo recebê-lo sempre, para que sempre perdoe os meus pecados. Se peco continuamente, devo ter sempre um remédio" [7]. A cada pessoa, porém, deve ser dado o remédio adequado à sua enfermidade, como indica o Aquinate:

"Não é qualquer remédio que convém a qualquer doente. Assim, o remédio para fortificar os que já não têm febre, faria mal dos febricitantes. Assim também o batismo e a penitência são remédios purificativos, para tirar a febre do pecado. Ao passo que este sacramento [a Eucaristia] é um remédio fortificante, que não deve ser dado senão aos que se livraram do pecado." [8]

Por isso, São João Paulo II sublinha a íntima união entre o sacramento da Eucaristia e o sacramento da Penitência: "Se a Eucaristia torna presente o sacrifício redentor da cruz, perpetuando-o sacramentalmente, isso significa que deriva dela uma contínua exigência de conversão" [9].

Aqueles que se encontram em estado de graça, mas feridos pelos pecados veniais e pelos defeitos pessoais, no caminho da purificação, não devem deixar de recorrer ao sacramento da Eucaristia, tomando-o como "remédio fortificante", para que os ajudem na luta contra o mal e na própria santificação.

Por Equipe Christo Nihil Praeponere

Referências

Suma Teológica, III, q. 65, a. 3

Ecclesia de Eucharistia, 36

1 Cor 11, 27

Homilias sobre Isaías, 6, 3: PG 56, 139

Concílio de Trento, Sessão XIII, Decretum de ss. Eucharistia, cap. 7: DS 1647

Evangelii Gaudium, 47

De Sacramentis, IV, 6, 28: PL 16, 446

Suma Teológica, III, q. 80, a. 4, ad 2

Ecclesia de Eucharistia, 37

Caminho de Perfeição, 35, 1

 

https://padrepauloricardo.org/blog/a-eucaristia-e-remedio-para-quem-esta-em-pecado-mortal

 

domingo, 16 de abril de 2017

Feliz Páscoa

Fonte ASJ

Sementes de fé - 16/04/2017

Querida família, "A Paz esteja convosco".

O sepulcro está vazio. A morte atingiu a Cristo só temporariamente. O mal não tem mais poder. Pois a paz, a justiça e a verdade não morrem. Por isso, a páscoa é o dia por excelência da alegria, do otimismo. A luz do ressuscitado reacende a esperança.

Porém, só quem passa do pecado à vida da graça, quem vive os valores evangélicos é capaz de experimentar o profundo sentido da ressurreição do Senhor na própria vida.

A liturgia celebra esta alegria pascal em cada Eucaristia, particularmente, aquela dominical.

Eis o tempo de redescobrir o tesouro da Santa Missa em nossa vivência dominical.

Pela intercessão de Nossa Senhora do Brasil, abençoe-vos Deus, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

sábado, 15 de abril de 2017

Sementes de fé - 15/04/2017

Querida família, "Deixai-vos reconciliar com Deus.

Hoje é o dia do silêncio interior na expectativa do despertar do nosso Redentor. Ao entardecer, em clima de vigília, vamos celebrar a Ressurreição do Senhor. A riqueza de significado e de beleza desta celebração é verdadeiramente imperdível. Não deixem de participar. Aqui entre nós, a celebração será às 18:00 horas. Sejam bem-vindos. Boa Páscoa!

E que Nossa Senhora do Brasil nos aconchegue a seu Filho Jesus. Com a bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Sementes de fé - 14/04/2017

Querida família, "Deixai-vos reconciliar com Deus.

Hoje, dia de jejum e abstinência, paramos para meditar na Paixão e Morte do Senhor. Não revivemos a tristeza de um velório, mas a vida que dá sentido à morte. Jesus assume nossas culpas e penas, morre em nosso lugar, para que tenhamos vida e vida para sempre na Casa do Pai.

Hoje é o dia de reviver o grande mistério do Amor de Deus por nós: "Prova de amor maior não há / que doar a vida pelo irmão".

Não deixe de participar das celebrações da Semana Santa. Aqui entre nós, a celebração desta sexta-feira santa será às 15:00 horas o Ofício da Paixão do Senhor e às 18:00 horas a Procissão do Senhor Morto. Sejam bem-vindos.

Nossa Senhora do Brasil, rogai por nós, com a bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Dia 40 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

40º Dia – Sexta-feira Santa, 14 de abril: SILENCIAR “O Senhor reside em sua santa morada; silêncio diante dele, ó terra inteira!” (Hab 2, 20) É hora de silêncio. Silenciar para melhor acolher o mistério. Diante de algumas partilhas que são feitas a mim, prefro silenciar. Há horas em que alguma palavra apenas atrapalha. Tentar “defender” Deus? Ou pior: dizer que tal coisa foi Vontade de Deus? Não seriam tais palavras apenas uma tentativa de escapar do constrangimento de não se saber o que dizer? Então não fale. É melhor silenciar; apenas escutar e estar perto. Na vida de fé deve haver espaço para o silêncio, especialmente o silêncio de Deus. Ele pode não responder ou a gente não entender a resposta que Ele está dando. Pode não fcar claro para nós, talvez o tempo todo ou seria melhor dizer durante todo o Tempo. O Tempo sempre será o lugar da possibilidade do silêncio. E se há uma palavra a ser dita nas adversidades do Tempo, ela já foi pronunciada uma vez por todas, quando “o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1, 14). O mistério da cruz e da morte do Senhor convidam ao silêncio diante do Verbo/ Palavra que se cala, como “um cordeiro que se conduz ao matadouro e uma ovelha muda nas mãos do tosquiador (Ele não abriu a boca)” (Is 53, 7). Silencie hoje. Silencie sempre que as coisas não forem claras. Acolha aquele que, sendo Palavra, se fez silêncio por nossa salvação. Medite em Jo 19, 17-37 Reze: Meu Senhor e meu Deus! *Dia de Jejum e abstinência de carne

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Sementes de Fé - 13/04/2017

Querida família, “Deixai-vos reconciliar com Deus.
“Prova de amor maior não há / que doar a vida pelo irmão”.
Hoje celebramos a Ceia Pascal de Jesus, sacramento da sua entrega por nós. Hoje também, em consequência, celebramos a instituição do Ministério Sacerdotal. Os bispos e os padres são chamados por Deus para serem o Sacramento do Cristo, o “Bom Pastor” à frente de seu rebanho, a Igreja.
Para completar a instituição sacramental da sua presença em nosso meio, Ele nos deixa o mandamento maior: “Amai-vos uns aos outros, como eu vos tenho amado. É assim que sereis reconhecidos como meus seguidores”. O gesto do “lava pés” é a manifestação do novo tipo de “poder”: “Eu vim para servir”.
Não deixem de participar das celebrações da Semana Santa. Verifique os horários de suas possibilidades. Aqui entre nós, a celebração desta quinta-feira santa será às 18:00 horas. Sejam bem-vindos.
Nossa Senhora do Brasil, rogai por nós, com a bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Dia 39 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

39º Dia – Quinta-feira Santa, 13 de abril: FIRMAR “Vigiai! Sede frmes na fé! Sede homens! Sede fortes!” (1Cor 16, 13) Firma teus passos, ainda que te custe andar. Firma tua decisão de não recuar, ainda que teu coração se arreceie. Firma tua esperança, ainda que tudo pareça desmoronar. Firma teus sonhos, ainda que só pesadelos povoem tuas noites. Firma tua alegria, ainda que teus olhos estejam marejados pela tristeza. Firma teu propósito de prosseguir, ainda que o cansaço te roube a energia. Firma tua decisão, ainda que as dúvidas solapem tua mente. Firma tua fé, ainda que tudo esteja obscuro. Firma teu senso de justiça, ainda que te decepcionem. Firma teu amor à verdade, ainda que estejas rodeado de mentiras. Firma tua humildade, ainda que o orgulho grite em teu interior. Firma tua entrega, ainda que teu ego se revolva em resistência. Firma tua condição de discípulo e entra no Cenáculo com o Mestre. Encontra ali tua razão de seguidor e toma lugar à Mesa. Deixa que Ele te lave os pés e aprende com ele a servir. Estende tua mão, ainda que indigna, e recebe o Pão da Vida. Apura teus ouvidos para que o Mandamento Novo do Amor se torne norma para tua alma. Acolhe as promessas que de Seu Coração derivam para que não esmoreças nas horas de tribulação. Entra com Ele no Getsêmani e vigia, ainda que o sono do medo e do cansaço te tonteiem. Permanece, então, em silêncio, pois qualquer palavra que possas dizer apenas te afasta do centro do Mistério revelado. Medite em 2Tessalonicenses 2, 13-16 Reze: Firme em tuas promessas, eu seguirei!

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Sementes de Fé - 12/04/2017

Querida família, “Deixai-vos reconciliar com Deus”.
“Deus não quis poupar seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós”.
Hoje Jesus nos associa à sua mesa com seus discípulos. Ele nos revela com gestos e palavras o que está para acontecer com Ele. A experiência da fraqueza humana dos discípulos, de Judas, que vai traí-lo, e de Pedro, que vai negá-lo, não intimida sua entrega radical por toda a humanidade, por cada um de nós.
Esta semana, vemos Judas, Pedro, e outros espelhados em nós. O arrependimento à semelhança de Pedro, traz vida nova. Esta é a oportunidade que Deus está nos dando nesta Semana Santa.
Não deixem de participar das celebrações da Semana Santa. Verifiquem os horários.

Nossa Senhora do Brasil, rogai por nós, com a bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Dia 38 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

38º Dia – Quarta-feira Santa, 12 de abril: CUIDAR “Que é o homem, digo-me então, para pensardes nele? Que são os flhos de Adão, para que vos ocupeis com eles?” (Sl 8, 4) “Deus cuida de mim à sombra das suas asas. Deus cuida de mim, eu amo a sua casa. E não ando sozinho, não estou sozinho, pois sei: Deus cuida de mim”. Quantas vezes cantei esta música de Kleber Lucas e nela expressei a certeza do amor de Deus que vela por mim em cada circunstância e que neste cuidado sou chamado a descansar. O cuidado é uma das características mais próprias do amor. Ele demonstra interesse, delicadeza, zelo pelo outro. O cuidado de Deus chega a nós nos detalhes, mas é preciso ter olhos, sensibilidade, para perceber os pequenos sinais. Quem não tem olhos para as pequenas delicadezas, provavelmente não terá para os maiores sinais. Acabam achando que Deus e a vida sempre lhes estão devendo algo. Diante disso, Deus é quem chama nossa atenção para termos cuidado para que o pecado não nos domine “Por que estás irado? E por que está abatido o teu semblante? Se praticares o bem, sem dúvida alguma poderás reabilitar-te. Mas se precederes mal, o pecado estará à tua porta, espreitando-te; mas, tu deverás dominá-lo” (Gn 4, 6-7). Lembrando ainda o poeta ao dizer que “quando a gente ama, é claro que a gente cuida”, cuidemos uns dos outros em pequenos gestos que demonstrem atenção e amor. Medite em Isaías 49, 14-21 Reze: Deus cuida de mim!

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

terça-feira, 11 de abril de 2017

Sementes de Fé - 11/04/2017

Querida família, “Deixai-vos reconciliar com Deus”.
“Deus não quis poupar seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós”.
Hoje Jesus nos associa à sua mesa com seus discípulos. Ele nos revela com gestos e palavras o que está para acontecer com Ele. A experiência da fraqueza humana dos discípulos, de Judas, que vai traí-lo, e de Pedro, que vai negá-lo, não intimida sua entrega radical por toda a humanidade, por cada um de nós.
Esta semana, vemos Judas, Pedro, e outros espelhados em nós. O arrependimento à semelhança de Pedro, traz vida nova. Esta é a oportunidade que Deus está nos dando nesta Semana Santa.
Não deixem de participar das celebrações da Semana Santa. Verifiquem os horários.

Nossa Senhora do Brasil, rogai por nós, com a bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Dia 37 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

37º Dia – Terça-feira Santa, 11 de abril: MOLDAR “Porém, temos este tesouro em vasos de barro, para que transpareça claramente que este poder extraordinário provém de Deus e não de nós.” (2Cor 4, 7) Para mim, quando se fala do oleiro, não se trata apenas de uma bela alegoria. Cresci à sombra de uma cerâmica e no “meio” do barro, pois meu pai é ceramista. Não obstante nunca ter aprendido a moldar um vaso ou outra peça, brinquei muito com barro e sempre admirei o trabalho de meu pai. Somos todos extremamente preciosos diante de Deus. Ele chega mesmo a dizer que troca reinos por nós (Is 43, 4). Alguns acabam concluindo, ou vivendo, que têm um tipo de preciosidade como o ouro ou prata – ou até mesmo diamante – por terem um “nome” de família, posses, estudos e os outros são um punhado de argila. Aqueles que agem assim deveriam lembrar-se das Escrituras: “lembra- -te que és pó e ao pó hás de tornar” (Gn 3, 19). Como barro é que somos preciosos, um punhado de barro que Deus tomou em suas mãos, modelou, soprou e nos fez viventes (Gn 2, 7). Como o pote seria um pote se não fosse o oleiro? Sem as mãos do oleiro, a argila não se torna em cerâmica. Sem a habilidade do oleiro, o barro não se torna vaso. Sem o talento do oleiro, o barro não se torna em nada útil ou de valor. Deixe, pois Deus ser o oleiro em sua vida. Deixo com você uma pequena oração que fz há alguns anos... Sou TERRA: pó, barro; não há porque me orgulhar. - Perdão, Senhor, por todas as vezes que deixei que o orgulho falasse mais alto! Sou ÁGUA: que dá maleabilidade ao barro. - Modela-me, Senhor, na força da água viva de tua Graça! Sou AR: passageiro, que não se sabe de onde vem nem para onde vai. - Sopra, Senhor, teu hálito em mim e renova-me na força de teu Espírito! Sou FOGO: que aquece, queima, transforma. - Purifca, Senhor, meu coração. Acrisola-me com teu amor. Amém. Medite em Jeremias 18, 1-6 Reze: Eu quero ser um vaso novo

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Sementes de Fé - 10/04/2017

Querida família, “Deixai-vos reconciliar com Deus”.
Em nossa peregrinação espiritual à Terra Santa, acompanhamos Jesus a Betânia, onde morava Lázaro. Marta servia a refeição, enquanto Maria, tomando quase meio litro de perfume precioso, ungiu os pés de Jesus e enxugou-o com seus cabelos. Judas, o traidor, ganancioso, considerava aquele gesto um desperdício.
O gesto de Maria é por Jesus mesmo interpretado como “sinal” profético da sua morte e da sua sepultura. Assim, a última ceia de Betânia se transforma numa antecipada celebração do acontecimento pascal.
Betânia não é apenas um símbolo. É uma realidade que deve encontrar lugar em nossa vida. Cada um de nós é chamado a ser para Cristo, o Cristo presente e sofredor no próximo.
Não deixem de participar das celebrações da Semana Santa. Verifiquem os horários.
Nossa Senhora do Brasil, rogai por nós, com a bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Dia 36 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

36º Dia – Segunda-feira Santa, 10 de abril: LEMBRAR “Lembra-te da minha afição e do meu pranto, do absinto e do veneno. Minha alma, continuamente, os recorda e se abate dentro de mim. Quero trazer à memória o que me pode dar esperança.” (Lam 3, 19-21) Quando nos dirigimos a Deus, pedindo que ele se lembre de nós, não quer dizer que nos esqueceu. É o grito da alma pedindo a misericórdia do Altíssimo que venha ao seu encontro. Mas é preciso que a gente se lembre também. Quantas pessoas, mesmo crendo em Deus e em sua Palavra que diz “não vos lembreis mais dos acontecimentos de outrora, não recordeis mais as coisas antigas, porque eis que vou fazer obra nova, a qual já surge: não a vedes?” (Is 43, 18-19), continuam a amargar nas memórias negativas, amarradas em traumas, incapazes de seguir em frente. O que você traz à memória? E suas memórias levam você aonde? É claro que não se trata de um processo automático e que a mesma mente que é poderosa para alavancar uma pessoa é também capaz de lançá-la  ao fundo do poço. Não tenho dúvida, porém, que a fé é poderosamente terapêutica e nos ajuda a recobrar a esperança e a organizar a vida noutra direção. Então, traga à memória o que Deus é e tem feito por você e que você é sustentado por ele: “recorda-te, pois, que não és tu que sustentas a raiz, mas, sim, a raiz a ti” (Rm 11, 18). Se, antes, meditamos sobre as raízes amargas, lembremo-nos agora que a Raiz de nosso ser, mais profunda que todas as demais raízes que possam se desenvolver em nós, é Deus. Medite em Eclesiastes 12 Reze: Quero trazer à memória o que me dá esperança!

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

domingo, 9 de abril de 2017

Sementes de fé - 09/04/2017

Querida família, "Deixai-vos reconciliar com Deus".

"Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem em nome do Senhor"!

O Domingo de Ramos nos introduz na semana dedicada à memória e à celebração da Páscoa de Cristo. E o faz sob os aspectos de morte e de vida, de humilhação e de glória. O servo sofredor de Isaías e o Cristo da paixão são os personagens que dão a própria vida pelos outros. Como compreender?

O justo sofre e é submetido à morte. E Deus se cala. Deus se esconde, hoje como antes. Não intervém. Por que? Renunciamos a aceitar um Deus silencioso?

O sofrimento que provém da coerência e da fidelidade à Palavra de Deus, à verdade, à justiça leva só aparentemente ao falimento, à morte; pois, na realidade leva à ressurreição, à vida. Estamos convictos disso?

"Eu vim para que todos tenham vida, que todos tenham vida plenamente".

Nossa Senhora do Brasil, rogai por nós, com a bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Dia 35 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

35º Dia – Domingo de Ramos, 9 de abril: NEGAR “Se alguém quer vir após mim, renegue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me.” (Lc 9, 23) O não delimita. Devolve-nos à consciência de que não somos absolutos, de que nossos desejos não são a medida da realidade. Éramos crianças de colo, quando começamos a ouvir os primeiros nãos. Aos poucos, começamos a perceber que eles eram uma barreira à nossa satisfação imediata; protestávamos logo num choro insistente ou amuados permanecendo num canto. Aprendemos que essa atitude era poderosa diante de adultos nem sempre amadurecidos para sustentar o não, necessário algumas vezes. Alguns de nós levaram isso pela vida afora. Resultado: um bocado de adultos infantilizados. Iluminações nos vêm das Escrituras: há o negar necessário para se seguir mais livre no discipulado (Lc 9, 23); há o negar que é quase traição (Lc 22, 60); há o negar que está em vista do sim, pois em Deus todo não orienta-se ao Sim (1Cor 1, 19-20). Negar a si mesmo – não fazer o ego prevalecer a todo custo – para não negar a Deus. Sinal de maturidade humana e espiritual é aprender a conjugar o sim e o não nas diversas realidades cotidianas: “Dizei somente: Sim, se é sim; não, se é não” (Mt 5, 37). Nem sempre é fácil, nem sempre é prazeroso, nem sempre agrada, nem sempre produz bem estar. Até porque todos nós vivemos os mesmos dilemas. Nossos sins e nãos se entrelaçam e, por vezes, se embaralham. Na convivência com alguns, será mais fácil, já com outros... bem, você sabe o resultado. Todavia, sendo o sim ou o não, que seja dado, que seja vivido sempre com sabedoria. Medite em Lucas 22, 54-62 Reze: Digo sim à tua vontade para mim!

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

sábado, 8 de abril de 2017

Sementes de fé - 08/04/2017

Querida família, "Deixai-vos reconciliar com Deus".

"O Cristo foi entregue para reunir num só corpo os filhos de Deus, que andavam dispersos" (Jo 11,52).

O preço da nossa felicidade é Jesus Cristo, o Deus Altíssimo vindo na carne humana para fazer a unidade através do sacrifício da própria vida.

A simples história humana ensina que um povo não nasce do nada. A origem de um povo é tecida por gestos heroicos realizados por homens desinteressados, voltados para o povo. É o sacrifício da vida de um ou mais homens pela inteira comunidade nacional.

Jesus é o homem cuja existência terrena se explica unicamente pela doação de sua vida "para reunir os filhos de Deus dispersos" (Jo 11,54). Somente na imitação de Cristo, doando nossa vida no cumprimento de nossas obrigações, encontraremos a alegria de viver.

" Ó Senhor, não fiqueis longe de mim! Ó minha força, correi em meu socorro"!

Nossa Senhora do Brasil, rogai por nós, com a bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

 

 

 

Dia 34 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

34º Dia – Sábado, 8 de abril: LEVANTAR Pedro, porém, disse: Não tenho nem ouro nem prata, mas o que tenho eu te dou: em nome de Jesus Cristo Nazareno, levanta-te e anda!” (At 3, 6) Uma das expressões bíblicas mais fortes que indica ânimo, superação, coragem, força é quando se diz: levanta! Elias estava entregue à depressão e ao desejo de morte (1Rs 19, 1-7); o paralítico há trinta e oito anos justifcava sua sina de não ser curado, permanecendo na mísera condição (Jo 5, 1-14); o coxo mendigava à porta do templo e já fzera daquele seu estilo de vida (At 3, 1-8). Até que chegou o momento de mudar! Já não dava mais para fcar ao chão. Era hora de levantar-se para uma nova vida. Como canta a música que gosto de entoar: “Quanto tempo esperei, chegou a minha vez. Sei que hoje é meu dia. Jesus está aqui”. Há uma bela frase que reza: “o cair é do homem e o levantar é de Deus”. Antes que eu ou você possa se levantar, Deus se levanta como misericordioso Senhor para nos colocar de pé, como está expresso no salmo: “O Senhor sustém os que vacilam, e soergue os abatidos” (Sl 144, 14). Se você se sente ao chão, ou até mesmo está ao chão, por alguma grave situação que lhe acomete, deixe que o Senhor envie seu mensageiro, um anjo do céu ou da terra, para dizer hoje a você: levanta e anda, em nome de Jesus! Medite em 1Rs 19, 1-7 Reze: Tua Palavra me põe de pé!

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Sementes de fé - 07/04/2017

Querida família, "Deixai-vos reconciliar com Deus".

A pessoa que vive em um ambiente de falsidade, intriga e maledicência experimenta uma grande desolação e pavor. Jeremias profetiza esse momento derradeiro de Jesus: "Eu ouvi as injúrias de tantos homens e os vi espalhando o medo em redor: "Denunciai-o, denunciemo-lo". Todos os amigos observam minhas falhas: "Talvez ele cometa um engano e nós poderemos apanhá-lo e desforrar-nos dele" (Jr 20,10).

Quando uma pessoa é abandonada também pelos seus amigos, quando vê os "seus" passar para o lado dos injuriadores, não há humanamente mais nada a esperar. A solidão que vive já é uma condenação à morte.

Todos precisamos uns dos outros. Sem confiança e lealdade a vida torna-se uma tortura. Cristo, enquanto verdadeiramente homem, tem essa radical exigência; por isso, ao encontrar-se entre inimigos, ou seja, não amigos, o enche de angústia.

A Semana Santa é o momento propício para verificarmos a nossa real fidelidade a Jesus nas diversas circunstâncias do nosso cotidiano.

Nossa Senhora do Brasil, rogai por nós, com a bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

 

 

Dia 33 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

33º Dia – Sexta-feira, 7 de abril: MERGULHAR “Ignorais que todos os que fomos batizados em Jesus Cristo, fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele na sua morte pelo batismo para que, como Cristo ressurgiu dos mortos pela glória do Pai, assim nós também vivamos uma vida nova.” (Rm 6, 3-4) “Banhados em Cristo, somos uma nova criatura. As coisas antigas já se passaram, somos nascidos de novo.” No tempo pascal, entoamos repetidamente este mantra, renovando a consciência de que fomos mergulhados na morte de Cristo para ressuscitarmos na plenitude de sua vida. Pelo Batismo, já somos participantes desta tremenda graça, “mas ainda não se manifestou claramente o que havemos de ser” (1Jo 3, 2). Mas isto certamente não nos dispensa de a ela corresponder e buscá-la no cotidiano, pois ainda existem e resistem em nós raízes de amargura que, se não arrancadas podem nos fazer mergulhar num “danoso quarteto de M’s” (medo, mediocridade, melancolia, murmuração): “Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus; que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando muitos” (Hb 12, 15). E contamina mesmo: a pessoa e quem está por perto. Ninguém conclua muito rapidamente que dela está isento. As raízes de amargura crescem em nós porque são regadas por águas amargas. Foi o que aconteceu com o povo de Israel (confira no texto bíblico recomendado à sua meditação). Para tanto, é necessário que nas águas dos lençóis freáticos de nossa alma seja mergulhado o madeiro da Cruz que tem o poder de saná-las. Percebe como não dá para fcar se gabando de que já se foi mergulhado em Cristo pelo Batismo e que tudo está pronto? É preciso permanecer mergulhado no Espírito, ou seja, continuamente batizado no Espírito . Medite em Êxodo 15, 22-27 Reze: Mergulha-me mais e mais em teu Espírito, Senhor! *Dia de Jejum

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Sementes de fé - 06/04/2017

Querida família, "Deixai-vos reconciliar com Deus".

Quem já teve o privilégio de visitar a Terra Santa, não como turista, mas como um peregrino, imbuído do espírito rememorativo da Vida Redentora do Senhor, viveu uma experiência inefável, inexprimível. Entretanto, podemos falar de uma peregrinação litúrgico-espiritual, valiosíssima e ao alcance de todos.

A Quaresma é o tempo de sua preparação e a Semana Santa é o roteiro dessa nossa peregrinação: saudaremos Jesus com nossos Hosanas ao Filho de Deus, sentaremos à mesa de sua Ceia Pascal, estaremos ao pé da Cruz meditando o profundo significado de sua Paixão e Morte, para na Vigília Pascal e Domingo da Ressurreição comemorar a Redenção em benefício da humanidade, de cada um de nós.

É hora, portanto, de ultimar nossos preparativos para essa santa peregrinação. Sem dúvida nenhuma, uma boa confissão sacramental será como o visto de entrada, o passaporte da santa experiência.

Nossa Senhora do Brasil, rogai por nós, com a bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

 

Monsenhor Antônio José de Moraes

Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

 

Dia 32 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

32º Dia – Quinta-feira, 6 de abril: PURIFICAR “Ouvi e compreendei. Não é aquilo que entra pela boca que mancha o homem, mas aquilo que sai dele. Eis o que mancha o homem.” (Mt 15, 11) Purifque o seu coração das segundas, das terceiras, das más intenções. Purifque-se do desejo egoísta de tudo reter. Purifque-se das palavras que ferem, derrubam e, até, matam o outro. Purifque-se dos olhares que se arvoram em juízes. Purifque-se do hábito iníquo – e até maligno – de fofocar, quando não, de caluniar. Purifque- -se das mesquinharias que afastam o outro. Purifque-se dos preconceitos que fazem você se sentir mais e melhor do que alguém. Purifque-se da inveja que acomoda e destrói, não só o outro, mas, sobretudo a si mesmo. Purifque-se da religião que se baseia apenas em práticas externas, sem a verdade da intimidade. Purifque-se do egoísmo travestido de amor em vazios sorrisos e frios gestos. Purifque-se do orgulho que não deixa o arrependimento se manifestar em pedido de perdão. Purifque-se da autossufciência de se sentir puro. E como nenhum de nós dá conta de purifcar-se sozinho, aproxime-se daquele que disse: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o fazem” (Lc 23, 34). Apenas peça perdão e coloque-se num movimento de purifcação. Medite no Salmo 50 Reze: Purifca-me do meu pecado!

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Sementes de Fé - 05/04/2017

Querida família, “Deixai-vos reconciliar com Deus”.
“Se permanecerdes na minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos, e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8,31-32).
Liberdade e verdade são conceitos mais subjetivos que objetivos, em nossa época tão relativista. Tudo está exclusivamente submetido ao nosso sentir, parecer e, principalmente, à nossa conveniência.
Precisamos nos libertar da visão tacanha e utilitarista da liberdade e da verdade. Para nós cristãos, Jesus “é o caminho, a verdade e a vida”. Ele é o nosso libertador e a verdade do sentido da nossa existência. Os santos evangelhos nos mostram como liberdade e verdade estão intrinsicamente relacionados. Um e outro são a face existencial de Jesus.
Para nós, quem é a referência existencial da verdade e da liberdade?
Nossa Senhora do Brasil, rogai por nós, com a bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Dia 31 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

31º Dia – Quarta-feira, 5 de abril: ESPERAR “Esperando, esperei no Senhor, e inclinando-se, ouviu meu clamor.” (Sl 39, 2) Há uma esperança que não frustrará jamais. Ela pode fcar obscurecida pelas nuvens escuras, como acontece nos dias nublados, ou até mesmo parecer se anular, como acontece quando a noite cai, mas ela estará ali. Ela é o sol e nós somos semelhantes à terra. Não é o sol que se move e, sim, a terra. Nesse movimento existencial, as noites da vida chegam e, por vezes, são tremendamente escuras, mas o amanhecer logo vem, como diz o salmista: “Pela tarde, vem o pranto, mas, de manhã, volta a alegria” (Sl 29, 6). A esperança sorrirá para você com o nascer do sol. A noite não pode deter o amanhecer. Ele pode tardar, mas chegará; pode parecer distante, mas chegará; pode se assemelhar a uma quimera, mas chegará. Assim a esperança será o seu alimento nas prolongadas noites da dor, do medo, da solidão. Lembre-se, no entanto, que o Senhor penetrou na mais densa escuridão da morte, para transformá-la no amanhecer da ressurreição. Veja o que a Palavra fala sobre Abraão: “Esperando, contra toda a esperança, Abraão teve fé e se tornou pai de muitas nações, segundo o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência (Gn 15,5). Não vacilou na fé, embora reconhecendo o seu próprio corpo sem vigor - pois tinha quase cem anos - e o seio de Sara igualmente amortecido. Ante a promessa de Deus, não vacilou, não desconfiou, mas conservou-se forte na fé e deu glória a Deus. Estava plenamente convencido de que Deus era poderoso para cumprir o que prometera. Eis por que sua fé lhe foi contada como justiça” (Rm 4, 18-22). Você não será decepcionado! “Espera no Senhor e sê forte! Fortifique-se o teu coração e espera no Senhor” (Sl 26, 14). Medite em Rm 5, 1-5 Reze: Eu espero em ti, Senhor!

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

terça-feira, 4 de abril de 2017

Sementes de Fé - 04/04/2017

Querida família, “Deixai-vos reconciliar com Deus”.
“Moisés fez uma serpente de bronze e colocou-a como sinal sobre uma haste. Quando alguém era mordido por uma serpente, e olhava para a serpente de bronze, ficava curado” (Nm 21,4-9).
Com agressividade, nós católicos e todo o Oriente cristão, somos acusados de idolatria, pois não é permitido representar Deus. A serpente de bronze, como antídoto, era ela que curava ou Deus? Mas é claro que ela era apenas um instrumento sensível de Deus.
Por outro lado, acreditamos ou não que Jesus é a Palavra de Deus encarnada? Lembra daquela passagem em que o apóstolo pede a Jesus que lhe mostrasse o Pai? Felipe, diz-lhe Jesus; “Quem me vê, vê o Pai”. A partir da encarnação, Deus, em Jesus, se fez humanamente sensível.
Veja bem, se a serpente de bronze remetia à ação de Deus, se a intercessão de Moisés e de tantos outros no mundo bíblico era normal, por que não, a da Mãe de Jesus, dos Santos, dos pais aos seus filhos, dos padres e até mesmo dos pastores evangélicos?
“Santa Maria, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém”. A bênção da Santíssima Trindade: Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Monsenhor Antônio José de Moraes
Pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Brasil

Dia 30 - Roteiro Quaresmal 40 dias no Deserto

Ao início da meditação de cada dia, reze: Senhor, no silêncio desta hora de graça, venho pedir-te a paz, a sabedoria e a força. Quero olhar o mundo com olhos cheios de amor. Quero ser paciente, compreensivo, manso e prudente. Quero ver além das aparências teus filhos como tu mesmo os vês e, assim, Senhor, ver senão o bem em cada um deles. Fecha meus ouvidos a toda calúnia. Guarda minha língua de toda maldade. Que só de bênçãos se encha minh'alma. Que eu seja tão bom e tão alegre que todos aqueles, ao se aproximarem de mim, sintam tua presença. Reveste-me de tua beleza, Senhor, e que, no decurso desse dia, eu te revele a todos. Dá-me, assim, pelo Espírito Santo, viver o dia de hoje em comunhão contigo, em atenção ao que se passa comigo e vigilante diante dos desvios do caminho. Inspira-me com tua luz, defende-me com tua graça, santifica-me com teu amor. Invoco o preciosíssimo Sangue de Jesus para que me guarde, a intercessão da Mãe Santíssima para que me valha em todas as horas e a proteção dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael na jornada deste dia. Em nome de Jesus. Amém.

30º Dia – Terça-feira, 4 de abril: CONFRONTAR “... se vos mordeis e vos devorais, vede que não acabeis por vos destruirdes uns aos outros.” (Gl 5, 15) O dicionário conceitua o verbo confrontar da seguinte forma: verbo transitivo direto e pronominal > estar defronte, ser fronteiro a (“nossa casa confronta o lago”); transitivo indireto > fazer fronteira com; limitar-se, confnar (“nossas terras confrontam com a estrada de ferro”). Pode parecer uma diferença muito sutil entre um signifcado e outro, mas leia novamente. Quando se pensa nos relacionamentos que temos, incluindo com nós mesmos, vivemos esse confrontar como um estar diante do outro (defronte) ou no sentido de limitado, confnado entre as fronteiras do que cada um é? Quando se confronta, no primeiro sentido, descobre-se que o outro é diferente, mas também semelhante a nós; quando é a segunda acep- ção que prevalece, o que vige é a postura expressa por frases como esta: sua liberdade termina onde a minha começa. Confrontos, então, tornam-se confitos. Parece-me que a forma como superamos os confitos e criamos pontes de fraternidade com o outro, é quando o confrontar é vivenciado, como estar defronte o outro com respeito, aceitação e amor. O que tem sido para você confrontar? Medite em Filipenses 2, 1-5 Reze: Amoriza todos os meus relacionamentos, Senhor!

Autoria Padre Sergio

http://www.padresergio.com/

Postagens populares

Google Plus


Google+
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...