Pesquisar este blog

Compartilhe



terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Não se acostumem ao escândalo da guerra, pede Papa

Francisco enfatizou necessidade de paz, lembrando a realidade de crianças que sofrem com a fome nos campos de refugiados
Da Redação CN, com Rádio Vaticano
Não se acostumem ao escândalo da guerra, pede PapaCrianças famintas estão nos campos de refugiados, enquanto os fabricantes de armas dão festa em salões. Esta foi a imagem forte que o Papa Francisco evocou na Missa, desta terça-feira, 25, na Casa Santa Marta. Toda a homilia do Santo Padre foi um apelo pela paz e contra todo tipo de guerra no mundo ou na família.
Francisco enfatizou que a paz não pode ser só uma “palavra” e exortou todos os cristãos a não se acostumarem com o escândalo da guerra. Partindo da Carta de São Tiago, na Primeira Leitura do dia, o Papa condenou todas as guerras, que surgem quando os corações se afastam de Deus.
“Todos os dias, nos jornais, encontramos guerras”, constatou Francisco, acrescentando que os mortos em conflitos parecem fazer parte de uma contabilidade diária. O homem se acostumou a ler coisas desse tipo e parece que o espírito da guerra tomou conta dele. Segundo o Papa, hoje a situação de conflitos permanece a mesma, só que, em vez de uma grande guerra, há pequenas guerras em todos os lugares, povos divididos.
“As guerras, o ódio, a inimizade não são comprados no mercado: estão aqui, no coração”, disse Francisco. Ele recordou que a história de Caim e Abel causava escândalo quando ensinada no catecismo às crianças, não se podia aceitar que um irmão matasse o outro. Hoje, porém, milhões de irmãos se matam entre si e o ser humano está acostumado com isso.
“A Primeira Guerra Mundial nos escandaliza, mas esta grande guerra, um pouco em todo lugar, um pouco escondida, não nos escandaliza! E morre tanta gente por um pedaço de terra, por uma ambição, por ódio”.
Francisco ressaltou ainda uma situação curiosa: diante de um conflito, tenta-se resolvê-lo brigando, com a linguagem da guerra, sem pensar primeiro em uma linguagem de paz.
“As consequências? Pensem nas crianças famintas nos campos de refugiados… Pensem somente nisto: este é o fruto da guerra! E se querem, pensem nos grandes salões, nas festas que fazem aqueles que são os patrões das indústrias de armas, que fabricam as armas. A criança doente, faminta, um campo de refugiados e as grandes festas”.
Este espírito de guerra, que afasta o homem de Deus, está também nas casas, lembrou o Santo Padre. Ele citou como exemplo tantas famílias em que pai e mãe não são capazes de encontrar o caminho da paz e preferem fazer a guerra.
“Hoje, proponho a vocês rezar pela paz (…) Os vossos risos – disse retomando o apóstolo Tiago – se transformem em luto e a vossa alegria em tristeza. Isso é o que deve fazer, hoje, 25 de fevereiro, um cristão diante de tantas guerras, em todo lugar: chorar, estar de luto, humilhar-se. O Senhor nos faça entender isso e nos salve de nos acostumarmos com as notícias de guerra”.

A raiz de todo sofrimento

O pecado é  causador das misérias humanas
A Revelação de Deus por meio da Bíblia e da Tradição da Igreja, nos ensina que por causa do pecado da desobediência ao Criador, nossos primeiros pais perderam a “graça santificante” que lhes dava uma comunhão íntima com Deus, e perderam também o estado de “justiça original” que garantia a harmonia do homem com Deus, com a mulher, consigo mesmo e com a natureza. Se se mantivesse fiel a Deus e ao modo de vida proposto por Deus (simbolizado pela proibição da fruta da árvore da ciência do bem e do mal, cf. Gn 2,16s) ele não perderia esses dons.
Mas, o homem não quis obedecer a Deus e, por autossuficiência  recusou o seu modelo de vida. Pecaram por soberba e desobediência, disseram NÃO a Deus, e sim ao Tentador. Por isso, perdeu o controle de si mesmo e ficou sujeito às suas paixões desordenadas; e o mundo que, por dom de Deus, estava harmoniosamente sujeito ao homem, já não era mais; rompeu-se a serventia das criaturas irracionais ao homem; agora estas o maltratam e esmagam, negam-lhe os frutos da terra e, às vezes até as condições de sobrevivência.A terra passou, então, a produzir espinhos e abrolhos e agora o homem terá de tirar dela, com o seu suor, o seu sustento. A mulher, por sua vez, dará a luz em dores de parto. O sofrimento entrou no mundo com o pecado.
“Multiplicarei os sofrimentos de teu parto; darás à luz com dores, teus desejos te impelirão para o teu marido e tu estarás sob o seu domínio.”
“Porque ouviste a voz de tua mulher e comeste do fruto da árvore que eu te havia proibido comer, maldita seja a terra por tua causa. Tirarás dela com trabalhos penosos o teu sustento todos os dias de tua vida. Ela te produzirá espinhos e abrolhos, e tu comerás a erva da terra. Comerás o teu pão com o suor do teu rosto, até que voltes à terra de que foste tirado; porque és pó, e pó te hás de tornar…
O Senhor Deus expulsou-o do jardim do Éden, para que ele cultivasse a terra donde tinha sido tirado…” (Gn 3,17-23).
Nas origens da história humana há um Pecado que é responsável pela miséria física e moral que o homem sofre através dos séculos. Como ensina São Paulo:
“Por isso, como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim a morte passou a todo o gênero humano…” (Rm 5,12).
O Papa João Paulo II afirma sem hesitação que:
“Não se pode renunciar ao critério segundo o qual, na base dos sofrimentos humanos, existem implicações múltiplas com o pecado”.
“O mal, de fato, permanece ligado ao pecado e à morte. E, ainda que se deva ter muita cautela em considerar o sofrimento do homem como consequência de pecados concretos (como mostra precisamente o exemplo do justo Jó), ele não pode, contudo, ser separado do pecado das origens, daquilo que em São João é chamado “o pecado do mundo” (Jo 1,29)” (SD, nº 15).
Assim, conforme a Sagrada Escritura e a doutrina da fé, a origem do mal no mundo está no pecado, no plano moral. E isto fez surgir o mal físico (doenças, mortes, catástrofes, calamidades…).
Para explicar todo o sofrimento que há no mundo São Paulo disse que:  “O salário do pecado é a morte” (Rm 6,23).
É pelo pecado, tanto o original quanto os pessoais, que o demônio escraviza a humanidade e a afasta de Deus, fazendo-a sofrer. É por isso que Jesus veio, se encarnou, para “tirar o pecado do mundo” (Jo 1,19). Não foi para outra coisa. Ele aceitou derramar todo o Seu Sangue e sofrer tudo o que sofreu para arrancar do mundo a raiz de todo mal: o pecado.
Prof. Felipe Aquino

Carta do Papa Francisco às Famílias – 25/02/14

Na íntegra




Brasão do PapaMENSAGEM 
Carta do Papa Francisco às Famílias
Terça-feira, 25 de fevereiro de 2014
Boletim da Santa Sé
Queridas famílias,
Apresento-me à porta da vossa casa para vos falar de um acontecimento que vai realizar-se, como é sabido, no próximo mês de Outubro, no Vaticano: trata-se da Assembleia geral extraordinária do Sínodo dos Bispos, convocada para discutir o tema «Os desafios pastorais sobre a família no contexto da evangelização». Efetivamente, hoje, a Igreja é chamada a anunciar o Evangelho, enfrentando também as novas urgências pastorais que dizem respeito à família.
Este importante encontro envolve todo o Povo de Deus: Bispos, sacerdotes, pessoas consagradas e fiéis leigos das Igrejas particulares do mundo inteiro, que participam ativamente, na sua preparação, com sugestões concretas e com a ajuda indispensável da oração. O apoio da oração é muito necessário e significativo, especialmente da vossa parte, queridas famílias; na verdade, esta Assembleia sinodal é dedicada de modo especial a vós, à vossa vocação e missão na Igreja e na sociedade, aos problemas do matrimônio, da vida familiar, da educação dos filhos, e ao papel das famílias na missão da Igreja. Por isso, peço-vos para invocardes intensamente o Espírito Santo, a fim de que ilumine os Padres sinodais e os guie na sua exigente tarefa. Como sabeis, a esta Assembleia sinodal extraordinária, seguir-se-á – um ano depois – a Assembleia ordinária, que desenvolverá o mesmo tema da família. E, neste mesmo contexto, realizar-se-á o Encontro Mundial das Famílias, na cidade de Filadélfia, em setembro de 2015. Por isso, unamo-nos todos em oração para que a Igreja realize, através destes acontecimentos, um verdadeiro caminho de discernimento e adote os meios pastorais adequados para ajudarem as famílias a enfrentar os desafios atuais com a luz e a força que provêm do Evangelho.
Estou a escrever-vos esta carta no dia em que se celebra a festa da Apresentação de Jesus no templo. O evangelista Lucas conta que Nossa Senhora e São José, de acordo com a Lei de Moisés, levaram o Menino ao templo para oferecê-Lo ao Senhor e, nessa ocasião, duas pessoas idosas – Simeão e Ana –, movidas pelo Espírito Santo, foram ter com eles e reconheceram em Jesus o Messias (cf. Lc 2, 22-38). Simeão tomou-O nos braços e agradeceu a Deus, porque tinha finalmente «visto» a salvação; Ana, apesar da sua idade avançada, encheu-se de novo vigor e pôs-se a falar a todos do Menino. É uma imagem bela: um casal de pais jovens e duas pessoas idosas, reunidos devido a Jesus. Verdadeiramente Jesus faz com que as gerações se encontrem e unam! Ele é a fonte inesgotável daquele amor que vence todo o isolamento, toda a solidão, toda a tristeza. No vosso caminho familiar, partilhais tantos momentos belos: as refeições, o descanso, o trabalho em casa, a diversão, a oração, as viagens e as peregrinações, as ações de solidariedade… Todavia, se falta o amor, falta a alegria; e Jesus é quem nos dá o amor autêntico: oferece-nos a sua Palavra, que ilumina a nossa estrada; dá-nos o Pão de vida, que sustenta a labuta diária do nosso caminho.
Queridas famílias, a vossa oração pelo Sínodo dos Bispos será um tesouro precioso que enriquecerá a Igreja. Eu vo-la agradeço e peço que rezeis também por mim, para que possa servir o Povo de Deus na verdade e na caridade. A proteção da Bem-Aventurada Virgem Maria e de São José acompanhe sempre a todos vós e vos ajude a caminhar unidos no amor e no serviço recíproco. De coração invoco sobre cada família a bênção do Senhor.
Vaticano, 2 de Fevereiro – festa da Apresentação do Senhor – de 2014.
FRANCISCUS

Pais, eduquem seus filhos na Lei de Deus

Mensagem do padre Arlon Cristian, no programa "Sorrindo pra Vida", da TV Canção Nova, desta terça-feira, dia 24 de fevereiro de 2014.



Você também encontra o áudio completo do programa "Sorrindo pra Vida" na
Loja Canção Nova e também pelo telefone (12) 3186-2600.
A Palavra meditada, hoje, está em São Lucas 2,41-52.
"Você precisa buscar a Deus desde cedo e trazê-Lo para dentro de sua família", orienta padre Arlon.
Foto: Wesley Almeida/Arquivo Fotos CN

A Palavra de hoje fala sobre a perda e o encontro do Menino Jesus no Templo. O Evangelho começa dizendo que, todos os anos, os pais de Jesus iam a Jerusalém para a festa da Páscoa. Por tradição, o judeu ia a Jerusalém três vezes ao ano para as grandes festas. Isso quer dizer que Cristo, quando começou Sua vida pública, aos 30 anos, já havia ido a Jerusalém pelo menos 90 vezes.

Como é bonito ver que Jesus, apesar de ser o Filho de Deus, nasceu numa família religiosa! Vejam como é importante a educação religiosa que pais dão para seus filhos! É tão triste perceber que os pais não querem mais levar seus filhos à Missa, a um grupo de oração, porque as crianças vão chorar, vão fazer bagunça ou porque a Celebração Eucarística vai demorar muito.

Os ambientes que as crianças frequentam, hoje, desde pequenas, são os que se tornarão mais familiares para elas depois. Se você não educa seu filho na Igreja, desde pequeno, depois que ele crescer, você não vai conseguir levá-lo. A educação religiosa é muito importante na vida das crianças e é isso que o Senhor quer nos mostrar no dia de hoje.

Você precisa buscar a Deus, desde cedo, e trazê-Lo para dentro de sua família, para seu dia a dia. Isso fará toda diferença na sua vida e na vida dos seus.

O Evangelho continua dizendo que, quando Jesus completou 12 anos, Ele e Seus pais foram a Jerusalém como de costume e, passados os dias da festa da Páscoa, foram embora, sem perceber que Jesus tinha ficado em Jerusalém. Durante a caminhada de volta, perceberam que o Senhor não estava na caravana com eles. Depois de procurá-Lo e não encontrá-Lo, voltaram para Jerusalém.

Muitos devem pensar: “Como assim eles se esqueceram do Filho e não perceberam Sua falta? Se nós não voltarmos no tempo, não entenderemos como as pessoas viviam naquela época e não compreenderemos por que José e Maria perderam Jesus. Naquele tempo, as caravanas seguiam a pé com muitas pessoas. Junto de José e Maria deveria haver muitos parentes; era uma multidão que andava unida, e era comum as crianças ficarem perto de outras pessoas, com outras crianças. Então, eles achavam que Jesus estava com alguém em meio a todas aquelas pessoas.

Outro ponto importante é ressaltar que as caminhadas daquela época demoravam muito. Diz a Palavra que só depois de três dias eles retornaram a Jerusalém e encontraram Jesus. Mas, no momento em que perceberam a falta d’Ele na caravana, já foram perguntando para as pessoas se O haviam visto. Quando viram que Ele não estava, tomaram a decisão de voltar.

Eu imagino a humanidade de Maria e José nesse momento. Eles devem ter ficado apavorados por não saber onde estava Jesus. Ao mesmo tempo, penso em como ficou ruim para eles, diante de toda caravana, perder o filho. Esse é o mesmo sentimento que você sente quando seu filho sai à noite para as baladas, para namorar, para se drogar; e você não sabe onde ele está.

Vejam: Maria e José perderam Jesus, porém eles sabiam para onde voltar e onde O encontrar. Eles não foram buscar o Senhor no pecado, mas sim na Igreja. É aí que está a importância de educar os filhos desde pequenos, porque, quando eles saírem, você saberá onde eles vão estar. Se você não sabe por onde seus filhos andam, é porque já perdeu o controle sobre eles.

Novamente, ressalto a importância de levar o filho à igreja e educá-lo na fé católica. Mesmo que ele faça birra ou chore, é melhor isso do que você chorar amanhã. Eduque seu filho, sua filha, pois você é responsável por eles até que sejam maiores de idade.

Dê a eles educação, caráter, honestidade; seja firmes, lute pela salvação de seus filhos. Isso começa dentro de casa; não dando coisas materiais, mas educação, instrução, amor e presença. Lance as sementes da fé sobre seus filhos; mesmo que demore e que eles só vivam a experiência depois de um sofrimento, um dia essas sementes vão crescer e dar frutos.

Se seu filho está no pecado, não desista dele. Fale de Deus para ele, oriente-o, ame-o. Você não gosta do que ele faz? Traga-o para junto de si. Você deve amar o pecador e não o pecado. Saiba que o amor cura e liberta as pessoas. Se você nunca teve uma educação cristã, se nunca viveu isso, comece a fazer a diferença, daqui para frente, na vida de seu filho. Leve-o à igreja, fale de Deus para ele. Eduque o seu filho.

A Palavra termina dizendo: “Jesus desceu com seus pais para Nazaré e permaneceu obediente a eles. E sua mãe conservava no coração todas essas coisas.” Mesmo sendo o Filho de Deus, Jesus era obediente. Não é por que você saiu da sua casa, casou-se ou já é maior de idade, que você não tem mais de respeitar seu pai e sua mãe.

Hoje, quero pedir a Deus que esse exemplo comece dos pais para os filhos. Apresente sua família ao Senhor – seus pais, filhos, irmãos, netos, avós, tios e cunhados – e agradeça a Ele por cada um deles na sua vida. Agradeça pela educação que você recebeu e por poder passá-la adiante. Comece pelas crianças, mas evangelize todos as pessoas. Peça ao Pai a graça de ser evangelizado e de poder evangelizar. Você precisa levar a evangelização para as pessoas.
Padre Arlon Cristian
Sacerdote da Comunidade Canção Nova.
Twiiter: twitter.com/pearloncn
Facebook: facebook.com/PadreArlonCristian



Transcrição e adaptação: Débora Ferreira
Assista a uma parte do programa:


ABORTO E VIDA: Jovem russo que foi adotado após sobreviver a um aborto é hoje um grande atleta no país de seus pais adotivos!

ELE FICOU DEFICIENTE APÓS A TENTATIVA DE ABORTO.

Nik: "Eu acabei de me olhar como um milagre e que eu possa realizar um monte de coisas."

Seus pais adotivos ADOTARAM MAIS 5 CRIANÇAS DEFICIENTES ALÉM DAS 3 BIOLÓGICAS QUE TÊM!

CONFIRA A NOTÍCIA EM INGLÊS (DICA: PARA LER EM PORTUGUÊS É SÓ ABRIR NO GOOGLE CHROME É CLICAR EM TRADUZIR): http://www.personhoodusa.com/blog/miracle-abortion-survivor-without-legs-shines-as-high-school-wrestler/


“Miracle” abortion survivor without legs shines as high school wrestler

Nik HootSophomore Nik Hoot is one of the top competitors in his weight class at the Woodlan Warriors. He wows on and off the mat, thanks to his technical skill and generous heart. But for him, wrestling at all is something of a miracle.
You see, Nik was targeted for death before he was born. Thanks to a gruesome legal abortion in Russia, he lost parts of both his legs and suffered deformities of his hands. But Nik has always been a fighter. He survived and was put up for adoption in 1996. Marvin and Apryl Hoot brought him to a new life in Indiana and he hasn’t ceased to amaze since.
“I know that I was supposed to be an aborted baby and it failed. It makes me angry because I never want that to happen to any kid. Anybody can become anything and getting rid of a kid like that isn’t right to me,” Nik says. “I just look at myself as a miracle and that I can accomplish a lot of things.”
And he certainly has! With prosthetic legs, he’s played nearly every sport available to him: football, baseball, basketball and of course wrestling. In addition to Nik, the Hoots have adopted five other children from foreign countries, all of whom have birth defects (and that’s on top of their three biological children).
Nic was a person then and he is a person now. We’re so thankful he’s here with us today!
Watch a great local news video that tells his story:

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Papa Francisco envia mensagem a comunicadores católicos

Mais de 300 comunicadores católicos de 80 países estão em Roma para Congresso.  Presidente da Signis Brasil representa o país.
Rádio Vaticano
Tem início, na terça-feira, 25, em Roma, o Congresso Mundial da Associação Católica Mundial para a Comunicação 2014 (SIGNIS), da qual a Rádio Vaticano é um dos membros. O tema em debate é: “Mídias para uma cultura de paz: criar imagens com a nova geração”.
Para este evento, o Papa Francisco dirigiu uma mensagem aos participantes, em que expressa sua satisfação pelo fato de o Congresso refletir sobre o poder comunicativo das imagens, esperanças e inquietações das novas gerações.
“Num mundo globalizado, em que aparecem novas culturas com novas linguagens, símbolos e imaginação, os comunicadores católicos têm de enfrentar, cada vez com mais frequência, o desafio de apresentar a sabedoria, a verdade e a beleza do Evangelho numa linguagem capaz de tocar as mentes e os corações das inúmeras pessoas que estão sedentas de um sentido e direção para suas vidas, como indivíduos e como membros da sociedade”, escreve Francisco.
O Papa expressa sua confiança de que esses “dias de debate ofereçam aos participantes do Congresso nova inspiração, motivação e propósito em seus esforços para responder a sua exigente e entusiasmante tarefa”.
Em Roma, já estão presentes mais de 300 comunicadores católicos de 80 países. Do Brasil, participa a Ir. Helena Corazza, Presidente da Signis Brasil. O Congresso será inaugurado na presença do Presidente do Pontifício Conselho das Comunicações Sociais, Dom Claudio Maria Celli.

Questionário revela sofrimento de católicos afastados

Cardeal afirma que 80% das Conferências Episcopais já enviaram as respostas ao questionário que servirá de base para a elaboração da Assembleia Extraordinária.
Da Redação CN, com Agência Ecclesia
O Papa Francisco se reunirá, nesta semana, com a Secretaria do Sínodo dos Bispos para preparar a próxima Assembleia Extraordinária, marcada para outubro, sobre o tema “Os desafios pastorais sobre a família no contexto da evangelização”.
O anúncio foi feito pelo secretário-geral do Sínodo dos Bispos , Cardeal Dom Lorenzo Baldisseri,  ao jornal L’Osservatore Romano. O Cardeal destacou que as respostas ao questionário enviado aos católicos de todo o mundo  revelam que muitos se sentem longe da Igreja.
“As respostas apresentam muito sofrimento, sobretudo da parte dos que se sentem excluídos ou abandonados pela Igreja por se encontrarem num estado de vida que não corresponde à sua doutrina e à sua disciplina”, declarou Dom Lorenzo.
O texto preparatório para o próximo Sínodo, que acontecerá de 5 a 19 de outubro próximo, foi baseado em  um questionário com 38 perguntas enviado  às comunidades católicas de todo o mundo sobre as principais questões ligadas à família e ao casamento.
Dom Baldisseri adianta que, até a última quarta-feira, 19,  havia chegado à Secretaria Geral cerca de 80% das respostas  esperadas pelo Vaticano, enviadas pelas Conferências Episcopais, além de mais de 700 respostas individuais e de grupo.
O Cardeal afirmou que a iniciativa sinodal abriu um caminho de confiança para muitos que estavam afastados.
“A figura do Papa Francisco comprova, dia após dia, uma nova abordagem humana e cristã que faz vibrar as pessoas, dispondo-as à escuta e ao acolhimento daquilo que é bom para elas, mesmo quando há sofrimento”, afirmou.
O secretário-geral  destaca que as respostas indicam a urgência de tomar consciência das realidades vividas pelos fiéis, “ de retomar o diálogo pastoral com as pessoas que se afastaram, por várias razões”.
Os membros da Secretaria Geral irão começar a  análise do primeiro esboço do Instrumento de Trabalho para a Assembleia Extraordinária composto pelas respostas dos questionários. Serão necessários dois meses para o estudo das respostas e consolidação do material central para a Assembleia.
O Sínodo dos Bispos caracteriza-se como uma assembleia consultiva de representantes dos episcopados católicos de todo o mundo. A instituição dedicará, por desejo do Papa Francisco,  duas assembleias gerais dedicadas ao tema da família, uma extraordinária em outubro de 2014 e outra ordinária em outubro de 2015.

Papa institui secretaria para assuntos econômicos da Santa Sé

Comunicado pede ao Prefeito da nova Secretaria para a Economia, que  inicie o seu trabalho o mais rápido possível
Liliane Borges
Com Boletim da Santa Sé
O Papa Francisco constituiu uma nova estrutura de coordenação para os negócios econômicos e administrativos da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano. Anúncio foi feito nesta segunda-feira, 24, pela Sala de Imprensa da Santa Sé.
O Pontífice aceitou a  proposta de modificações feita pela Comissão Referente de Estudo e Endereço sobre a Organização Administrativa da Santa Sé (COSEA). Segundo comunicado oficial, a sugestão também foi analisada pelo “Conselho de Cardeais” e o “Grupo de 15 Cardeais”, que auxiliam o Papa na reforma da Cúria, e ambos deram parecer positivos às modificações.
O Comunicado apresenta detalhadamente  as modificações:
1- A instituição de uma nova Secretaria para a Economia, que terá autoridade sobre todas as atividades  econômicas e administrativas no interior da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano. A Secretaria será responsável, entre outras coisas, pela preparação de um orçamento anual para a Santa Sé e o Estado da Cidade do Vaticano, bem como um planejamento financeiro e  várias funções de apoio, como na questão de recursos humanos e compras. A Secretaria também irá preparar  um balanço detalhado da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano.
2- A Secretaria para a Economia irá colocar em prática as diretrizes formuladas pelo Conselho de Economia: um Conselho de 15 membros, composto por oito Cardeais ou Bispos, que reflete a universalidade da Igreja, e sete especialistas leigos de várias nacionalidades com competência em assuntos financeiros e profissionalismo reconhecido. O Conselho se reunirá periodicamente para avaliar as diretrizes e práticas concretas, e preparar e analisar relatórios sobre as atividades econômicas e administrativas da Santa Sé.
3 – A Secretaria para Economia será dirigida por um Cardeal Prefeito, que estará submetido ao Conselho de Economia. Um Secretário-Geral irá colaborar com o Cardeal Prefeito na gestão das atividades diárias.
4- O Santo Padre nomeou o Cardeal George Pell, atual arcebispo de Sidinei, Austrália, como prefeito da Secretaria para a Economia.
5- As novas disposições compreendem também a nomeação de um Revisor Geral,  nomeado pelo Santo Padre, que será dotado de poder para realizar revisões de qualquer agência ou instituição da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano.
6- As mudanças confirmam o papel da Administração do Patrimônio da Sé Apostólica (APSA) como  Banco Central do Vaticano, com todas as obrigações e responsabilidades de instituições similares em todo o mundo.
7. A Autoridade de Informação Financeira (AIF), continuará desenvolvendo o seu papel atual e fundamental de vigilância e disciplina das atividades internas da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano.
O Comunicado destaca que foi pedido ao Prefeito da nova Secretaria para a Economia,  iniciar o seu trabalho o mais rápido possível. Ele deverá preparar os Estatutos finais e as outras questões ligadas com a assistência dos conselheiros necessários e trabalhará com a COSEA para completar a atuação de tais disposições aprovadas pelo Santo Padre.

Depressão, um estado do ser

A depressão é uma das patologias mais comuns da atualidade; ela causa um enorme número de faltas ao trabalho, acarretando elevados custos para o sistema de saúde, tanto no Brasil como no mundo todo.
Arquivo CN


Acredita-se que a prevalência de depressão atinja de 5% a 10% da população mundial e que somente de 1% a 3% recebam tratamento.

As mulheres são mais suscetíveis a ter depressão do que os homens, numa proporção de 3:1, admitindo-se que essa prevalência atinja de 5% a 12% das mulheres e de 2% a 3% dos homens. Essa diferença pode ser relacionada às influências hormonais sobre o metabolismo psíquico feminino.

Essa enfermidade não respeita pessoas, atingindo a qualquer um, com ou sem uma causa definida, com intensidade variada, fato que, muitas vezes, dificulta o diagnóstico. Algumas vezes, ela vem mascarada por sintomas cardiológicos como angústia e opressão no peito, situação que faz os pacientes procurarem os cardiologistas. Não é o coração físico sofrendo, mas o emocional, o espiritual.

Muitos ainda não acreditam que a depressão seja uma doença, acham que é uma alteração própria da idade ou ainda fruto de invenção da indústria farmacêutica para vender medicamentos. Grande engano este, pois a depressão é tão antiga quanto Adão e Eva no Paraíso, pois no livro de Jó, capítulo 3:24,26, encontramos uma descrição que nos faz lembrar de um paciente deprimido:“Por alimento tenho soluços, e os gemidos vêm-me como água. Sucede-me o que mais temia, o que mais me aterrava acontece-me. Vivo sem paz e sem descanso, eu não repouso: o que vem é agitação”.

A depressão não respeita pessoas com fé, atingindo crentes e não crentes, ou melhor, ela não respeita ninguém, atinge políticos, líderes mundiais, atletas, celebridades, autores, músicos e até santos católicos, como aconteceu a São João da Cruz ou mesmo a Santa Teresinha do Menino Jesus, no leito de morte.

A palavra "depressão" pode ter inúmeros sentidos, como por exemplo: estar para baixo, estar “down”, triste. Em navegação, depressão significa a distância angular de um objeto celestial no horizonte. Em geologia, a depressão é um local baixo ou oco.

Nos Estados Unidos, em 1929, o “crash” da Bolsa de Valores determinou o período da Grande Depressão econômica, que se alastrou pelo mundo todo nessa época. Evidentemente, nesse período negro da história econômica mundial, muitas pessoas sofreram de depressão mental, decorrente das perdas econômicas.

Aqui no Brasil também passamos por muitas crises econômicas que acarretaram inúmeras perdas, que levaram a graves depressões no sistema econômico financeiro e com grandes consequências sociais. Vocês se lembram do início do governo Collor? Do confisco das nossas economias? Quantas e quantas pessoas não ficaram em depressão grave por isso? Quantos não adoeceram? Quantos não se suicidaram?

A depressão é um estado de existência marcado por uma sensação de sermos empurrados para baixo, oprimidos, afetando-nos física, psíquica e espiritualmente. Em outras palavras: essa doença não é um estado da mente, mas um estado do ser.

A depressão, porém, pode não ser o fim do caminho! Surpreendentemente, é possível tratá-la como um sinal de esperança!

Dr. Roque Marcos Savioli
Cardiologista e escritor

Papa em homilia: seguir Jesus é ter uma casa, é ter a Igreja

Santo Padre lembrou que Jesus nunca deixa o homem só pelo caminho. A Santa Igreja é uma casa para onde este pode voltar
Da Redação CN, com Rádio Vaticano
Papa em homilia: seguir Jesus é ter uma casa, a IgrejaSeguir Jesus não é “uma ideia”, mas um contínuo “permanecer em casa”, na Igreja, onde Cristo sempre traz alguém de volta, mesmo quem se afastou d’Ele. Esse foi o ensinamento do Papa Francisco, na Missa desta segunda-feira, 24, na Casa Santa Marta.
A reflexão partiu do Evangelho do dia, que relata o episódio em que Jesus livrou um menino de um espírito impuro. O cenário era de desordem, explicou o Papa, uma multidão rodeava o local, o pai do menino estava desesperado e pediu a ajuda de Jesus.
Dessa passagem, Francisco destacou o gesto piedoso de Jesus, que não só realizou a cura, mas se abaixou para erguer o menino que havia sido curado. “Jesus, quando cura, quando vai até o povo e cura uma pessoa, nunca a deixa sozinha. A cada um faz voltar ao seu lugar, não o deixa pelo caminho. São gestos belíssimos do Senhor!”.
O Papa lembrou que Jesus não veio do Céu sozinho, mas é Filho de um povo, é a promessa feita a um povo. Dessa forma, seus gestos ensinam que cada cura, cada perdão sempre fazem o ser humano voltar ao seu povo, que é a Igreja.
Francisco prosseguiu dizendo que Cristo sempre perdoa, e Seus gestos, às vezes, parecem revolucionários ou inexplicáveis, principalmente quando o Seu perdão se dirige àqueles que se afastaram d’Ele. Mas quando lhes perdoa, Jesus os faz voltar à casa, ressaltou o Papa.
“Assim, não se pode entender Jesus sem o povo de Deus. É um absurdo amar Cristo sem a Igreja, ouvi-Lo, mas não a Igreja; seguir Cristo à margem dela”, enfatizou Francisco, citando mais uma vez o Papa Paulo VI: “Cristo e a Igreja são unidos”.
Dessa forma, os gestos de ternura de Jesus fazem entender que a Doutrina Católica ou o “seguir Cristo” não é uma ideia, mas sim um contínuo “permanecer em casa”. E se, às vezes, acontece de alguém sair de casa por causa de um pecado, de um erro, a salvação é voltar para casa, com Jesus na Igreja.
“São gestos de ternura. Um a um, o Senhor nos chama, assim, para dentro de Sua família, a nossa mãe, a Santa Igreja. Pensemos nesses gestos de Jesus”.

Confissão diretamente a Deus? Papa Francisco não curtiu!

confessionario_papa
O Sacramento da Confissão nos escancara as portas do Céu. Por isso mesmo, o capeta se esforça para afastar os cristãos do confessionário: uns não se confessam a um sacerdote por vergonha; outros, por falta de humildade. Nesta semana, em uma audiência na praça de São Pedro,o Papa Francisco mandou a real pra nós sobre isso:
“Alguém poderá dizer: ‘Eu me confesso diretamente a Deus’. Sim, tu podes dizer a Deus: ‘Perdoa-me’, e dizer a ele teus pecados. Mas nossos pecados são também contra os nossos irmãos, contra a Igreja, e por isso é necessário pedir o perdão à Igreja e aos irmãos, na pessoa do sacerdote. ‘Mas, padre, tenho vergonha!’ Também a vergonha é boa, é ‘saudável’ ter um pouco de vergonha.”
- Audiência do Papa na Praça de São Pedro, 19/02/2014. Fonte: Vatican Insider
Confessar os pecados a um sacerdote é uma prova de amor a Cristo. Só o amor (ok, e talvez uma pitada de medinho do Inferno) faz com que alguém exponha as suas piores debilidades a outra pessoa, muitas vezes a um estranho. Se o pecador tem um mínimo de vergonha na cara, confessar-se já é em si uma penitência.
Quando atrelou o perdão dos pecados à Confissão (vejam na Bíblia, em Jo 20,23), Jesus determinou que um gesto concreto de arrependimento deveria ser realizado. Pedir perdão ao Deus “escondido” é muito fácil; mas declarar as faltas a outra pessoa é agulhada na nossa prepotência. O confessionário é uma escola de humildade!
Eu confesso: tenho vergonha de me confessar. Mas a vergonha jamais pode frear nossa intenção de buscar o perdão de Deus. Sabendo de nossos limites, o Papa nos deu um sábio empurrãozinho:
“Para desafogar-se, é bom falar com o irmão e dizer ao sacerdote estas coisas, que pesam tanto no meu coração: sente-se que se desafoga diante de Deus, com a Igreja e com o irmão. Por isso, não tenham medo da confissão. A gente, quando está na fila para se confessar, sente todas estas coisas – também a vergonha –, mas depois, quando termina a confissão sai livre, grande, belo, perdoado, branco, feliz. E isto é o bonito da confissão.”
O Papa tem razão! Depois de revelar nossas culpas ao sacerdote, a gente sai do confessionário levinho, levinho…
leve
É sempre bom lembrar para tomarem cuidado com as absolvições coletivas concedidas de modo abusivo (clique aqui para saber mais). Alguns leitores também têm nos relatado a dificuldade de encontrar sacerdotes disponíveis em certas paróquias, para confissão. Infelizmente, há padres que dão prioridade a diversas outras tarefas, deixando a confissão dos fiéis em segundo ou terceiro plano. Rezemos por eles, pois é por meio de suas mãos que recebemos o perdão de Deus!
É isso aí, pessoal: vamos passar o óleo de peroba na cara e sair pra confessar o quanto antes. Jesus nos espera: “Cada vez que nos confessamos, Deus nos abraça, Deus faz festa! Prossigamos por este caminho”. Falou e disse, papitcho!
- Fonte: http://ocatequista.com.br/#sthash.pON6NIhY.dpuf

domingo, 23 de fevereiro de 2014

7º Domingo Comum – Nossa santidade é reflexo da santidade de Deus! – Domingo 23/02/2014

Primeira Leitura (Lv 19,1-2.17-18)

Leitura do Livro do Levítico:
1O Senhor falou a Moisés, dizendo: 2“Fala a toda a comunidade dos filhos de Israel e dize-lhes: ‘Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo.
17Não tenhas no coração ódio contra teu irmão. Repreende o teu próximo, para não te tornares culpado de pecado por causa dele.
18Não procures vingança, nem guardes rancor dos teus compatriotas. Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor!’”

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Responsório (Sl 102)


— Bendize, ó minh’alma, ao Senhor,/ pois ele é bondoso e compassivo!
— Bendize, ó minh’alma, ao Senhor,/ pois ele é bondoso e compassivo!

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor,/ e todo o meu ser, seu santo nome!/ Bendize, ó minha alma, ao Senhor,/ não te esqueças de nenhum de seus favores!
— Pois ele te perdoa toda culpa,/ e cura toda a tua enfermidade;/ da sepultura ele salva a tua vida/ e te cerca de carinho e compaixão.
— O Senhor é indulgente, é favorável,/ é paciente, é bondoso e compassivo./ Não nos trata como exigem nossas faltas,/ nem nos pune em proporção às nossas culpas.
— Quanto dista o nascente do poente,/ tanto afasta para longe nossos crimes./ Como um pai se compadece de seus filhos,/ o Senhor tem compaixão dos que o temem.

Segunda Leitura (1Cor 3,16-23)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:
Irmãos: 16Acaso não sabeis que sois santuários de Deus e que o Espírito de Deus mora em vós?
17Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá, pois o santuário de Deus é santo, e vós sois esse santuário.
18Ninguém se iluda: Se algum de vós pensa que é sábio nas coisas deste mundo, reconheça sua insensatez, para se tornar sábio de verdade; 19pois a sabedoria deste mundo é insensatez diante de Deus. Com efeito, está escrito: “Aquele que apanha os sábios em sua própria astúcia”, 20e ainda: “O Senhor conhece os pensamentos dos sábios; sabe que são vãos”.
21Portanto, que ninguém ponha sua glória em homem algum. Com efeito, tudo vos pertence: 22Paulo, Apolo, Cefas, o mundo, a vida, a morte, o presente, o futuro; tudo é vosso, 23mas vós sois de Cristo, e Cristo é de Deus.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Anúncio do Evangelho (Mt 5,38-48)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 38“Vós ouvistes o que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente!’
39Eu, porém, vos digo: Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda!
40Se alguém quiser abrir um processo para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto!
41Se alguém te forçar a andar um quilômetro, caminha dois com ele!
42Dá a quem te pedir e não vires as costas a quem te pede emprestado.
43Vós ouvistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’
44Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem! 45Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre justos e injustos.
46Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa?
47E se saudais somente os vossos irmãos, o que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa?
48Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito!”

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Fonte: http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/7o-domingo-comum-nossa-santidade-e-reflexo-da-santidade-de-deus-domingo-23022014/

sábado, 22 de fevereiro de 2014

O QUE SIGNIFICA O SINAL DA CRUZ FEITO SOBRE A TESTA, OS LÁBIOS E O CORAÇÃO?

Aprendemos este gesto desde crianças, mas realmente conhecemos seu verdadeiro significado?
Nas normas expostas no Missal Romano, quando se explica o comportamento indicado para o momento da proclamação do Evangelho, estabelece-se que o diácono ou o sacerdote que anuncia a Palavra, depois de ter feito o sinal da cruz sobre a página do Lecionário, deve fazê-lo também sobre a testa, sobre os lábios e sobre o coração.
O sinal da cruz triplo também é feito pela assembleia. E tudo isso não pode ser considerado como mero ritual, mas um forte convite que a Igreja faz, sublinhando a grande importância dada ao Evangelho.
A Palavra de Deus, que é sempre a luz que ilumina o caminho dos fiéis, precisa ser acolhida na mente, anunciada com a voz e conservada no coração. Tudo isso nos recorda que é necessário nos empenharmos em compreender a Palavra de Deus com atenção e inteligência iluminada.
Esta Palavra deve ser anunciada e proclamada por todo cristão, porque a evangelização é um dever de todos os batizados. Precisa ser amada e guardada no coração, para tornar-se depois norma de vida.
Todos nós somos convidados a examinar-nos sobre como acolhemos o Evangelho, como nos comprometemos no anúncio desta mensagem, como conformamos nossa vida segundo suas indicações.
Somos convidados a ser um "Evangelho ilustrado", o "quinto Evangelho", não escrito com tinta, mas com a nossa própria vida.
Acolhamos com a mente, anunciemos com os lábios, conservemos no coração o tesouro da Palavra de Deus e, ao longo deste caminho, confiemos nossas vidas ao Senhor, para sermos reflexo da verdadeira luz em meio às trevas do mundo de hoje.

Artigo do Pe. Antonio, monge no Mosteiro de São Bento, de Monte Subiaco, Itália 
via Aleteia


 

Festa da Cátedra de São Pedro

Festa de Cátedra de São PedroÉ com alegria que hoje nós queremos conhecer um pouco mais a riqueza do significado da cátedra, do assento, da cadeira de São Pedro que se encontra na Itália, no Vaticano, na Basílica de São Pedro. Embora a Sé Episcopal seja na Basílica de São João de Latrão, a catedral de todas as catedrais, a cátedra com toda a sua riqueza, todo seu simbolismo se encontra na Basílica de São Pedro.
Fundamenta-se na Sagrada Escritura a autoridade do nosso Papa: encontramos no Evangelho de São Mateus no capítulo 6, essa pergunta que Jesus fez aos apóstolos e continua a fazer a cada um de nós: “E vós, quem dizei que eu sou?” São Pedro,0 em nome dos apóstolos, pode assim afirmar: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Jesus então lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi nem a carne, nem o sangue que te revelou isso, mas meu Pai que está no céus, e eu te declaro: Tu és Pedro e sobre essa pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; eu te darei a chave dos céus tudo que será ligado na terra serás ligado no céu e tudo que desligares na terra, serás desligado nos céus”.
Logo, o fundador e o fundamento, Nosso Senhor Jesus Cristo, o Crucificado que ressuscitou, a Verdade encarnada, foi Ele quem escolheu São Pedro para ser o primeiro Papa da Igreja e o capacitou pelo Espírito Santo com o carisma chamado da infalibilidade. Esse carisma bebe da realidade da própria Igreja porque a Igreja é infalível, uma vez que a alma da Igreja é o Espírito Santo, Espírito da verdade.
Enfim, em matéria de fé e de moral a Igreja é infalível e o Papa portando esse carisma da infalibilidade ensina a verdade fundamentada na Sagrada Escritura, na Sagrada Tradição e a serviço como Pastor e Mestre.
De fato, o Papa está a serviço da Verdade, por isso, ao venerarmos e reconhecermos o valor da Cátedra de São Pedro, nós temos que olhar para esses fundamentos todos. Não é autoritarismo, é autoridade que vem do Alto, é referência no mundo onde o relativismo está crescendo, onde muitos não sabem mais onde está a Verdade.
Nós olhamos para Cristo, para a Sagrada Escritura, para São Pedro, para este Pastor e Mestre universal da Igreja, então temos a segurança que Deus quer nos dar para alcançarmos a Salvação e espalharmos a Salvação.
Essa vocação é do Papa, dos Bispos, dos Presbíteros, mas também de todo cristão.
São Pedro, rogai por nós!

Fonte: http://santo.cancaonova.com/santo/festa-da-catedra-de-sao-pedro/

Postagens populares

Google Plus


Google+
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...