Pesquisar este blog

Compartilhe



sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Semeando Catequese: Maria, Passa na Frente!

Semeando Catequese: Maria, Passa na Frente!:

Mãe, passa à minha frente neste momento em que não vejo nada, quando parece não haver luz no túnel, no momento da dúvida, do medo, na hora de tomar a decisão certa ou quando tudo parecer contrário a mim o que sou incapaz de fazê-lo.
Passa na frente e cuida das dificuldades que vou precisar enfrentar e do que não está ao meu alcance de ver.
Tu tens o poder para isso.
Maria passa na frente quando falo com meus filhos, quando me dirijo ao meu esposo(a).
Passa na frente quando vou ao trabalho, quando conduzo o carro.
Passa na frente quando tiver que receber uma notícia, quando o médico for me dar o diagnóstico de alguma doença, ou quando tiver de fazer uma cirurgia.
Defenda-me, protege-me, cuida de mim.
Passa na frente Mãe, toca e aquece com seu amor materno os corações endurecidos que eu vou encontrar no caminho, pois tu és o Astro que anuncia o Sol e contigo ninguém fica sem sentir o seu calor.
Obrigada, Mãe amada, sem a qual não haveria vitória.
Maria, coragem invencível dos atletas de Cristo, coluna de fogo que nos conduz na noite, Aurora da Boa Nova, passa hoje e sempre na minha frente.Amém!
(Dra. Suzel Frem Bourgerie)

Fonte: http://semeandocatequese.blogspot.com.br/
'via Blog this'

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

A Lei de Deus - Reflexão das deituras dos dias 1 e 2/09/12



A Liturgia nos convida a refletir sobre o sentido da "LEI".
Deus quer a realização e a vida plena para o homem e,
nesse sentido, propõe a sua "Lei" e
o modo como ela deve ser observada.

Na 1a Leitura, o Povo de Deus recebe a LEI. (Dt 4,1-2.6-8)

No final da vida, antes de entrar na Terra Prometida,
MOISÉS deixa um "testamento Espiritual": A LEI proposta por Deus.

A LEI DE DEUS é sagrada, não pode ser alterada...
- A "Lei" de Deus representa uma Sabedoria desconhecida pelos outros povos,
um meio de viver a Aliança com Deus, e assim chegar à Terra Prometida...
- A Observância da Lei será uma Resposta de gratidão a esse Deus libertador, que muitas vezes no passado agiu para salvar o seu Povo.
- A "Lei" de Deus é um Caminho seguro para a felicidade e a vida plena.
Os Mandamentos são sinal da proximidade de Deus com seu povo e
da fidelidade de Israel com o seu Deus.
Por isso, recomenda ao povo, que acolha a Lei e se deixe guiar por ela.

* O judaísmo sempre deu grande destaque à Lei,
mas, muitas vezes, de sinal de Aliança e de Liberdade,
tornou-se um "jugo" insuportável.

Na 2a leitura: SÃO TIAGO lembra:
"Sede CUMPRIDORES da Palavra, e não apenas ouvintes" (Tg 1,17-18.21-22.27)

* A Palavra de Deus devemos acolher e por em prática...
A Verdadeira Religião não consiste apenas no cumprimento de ritos
e na fidelidade a certas práticas de piedade,
mas na dedicação em favor dos necessitados ("órfãos e viúvas"),
no compromisso por um mundo mais fraterno e cristão.

No Evangelho, temos a atitude de CRISTO diante da LEI. (Mc 7,1-8.14-15.21-23)

Retomamos o Evangelho de Marcos...
- Os fariseus, que tramavam contra a vida de Cristo,
eram profundamente exigentes na observância externa das leis
e se escandalizaram porque os apóstolos não faziam antes de comer
os ritos de "purificação", prescritos por "preceitos humanos"...

- Cristo denuncia esse espírito mesquinho:
  "Hipócritas... Abandonais o Mandamento de Deus,
   apegando-vos à tradição dos homens"

* Na VERDADEIRA RELIGIÃO, não basta apenas
a observância externa da Lei e das "tradições humanas",
precisa também uma autêntica conversão do coração.
Deus olha o interior das pessoas e não as práticas exteriores e formais.
- O texto reflete também a situação vivida pela Comunidade de Marcos,
com relação às leis e tradições judaicas,
que deviam ser abandonadas diante da novidade do cristianismo.
A fidelidade à tradição não deve impedir a justa renovação.

+ A LEI: um CAMINHO, não um fim.

- A "Lei" tem o seu lugar numa experiência religiosa,
enquanto sinal indicador de um caminho a percorrer,
é um meio para chegar mais além no compromisso com Deus e com os irmãos.
- A verdadeira religião não se resume no cumprimento formal das "leis",
mas num processo de conversão que leve o homem à comunhão com Deus
e a viver numa real partilha de amor com os irmãos.
Nesse processo, as "leis" são apenas um caminho, não um fim absoluto...
* Ainda hoje pode haver uma maneira farisaica de agir,
resistindo a todos os anseios sérios de renovação.
Uma exagerada fidelidade à tradição pode abafar a fidelidade ao Espírito,
que é dinâmica, não passiva, missionária e não fechada em si mesma.

+ A Lei o que é para nós?

- Um TABU... um estraga prazeres, que toleramos com dificuldade...
- Ou um CAMINHO, no qual percorremos com alegria,
  porque sabemos para onde nos conduz com segurança?

- Nos contentamos apenas com a PRÁTICA EXTERNA,
  uma religião de tradição, talvez para salvar as aparências?
- Ou procuramos ter sempre um coração puro e
  disponível à voz de Deus e à voz de nossa consciência?
- Temos um coração aberto às renovações justas,
  sabendo distinguir a Lei de Deus e as Tradições, o Perene e o Transitório?

Cristo veio para nos libertar de uma religião exterior,
e nos levar a uma religião interior... "em espírito e verdade..."

E Nós? 
- Praticamos uma Religião como a dos fariseus,
  perfeita nas expressões externas, mas vazia por dentro?
- ou a verdadeira religião proposta por Jesus,
  onde os ritos têm o seu lugar, mas como expressão
  dum verdadeiro compromisso com o Reino de Deus?

Aos fariseus de hoje, Cristo continua denunciando:
"Este povo me honra com os lábios, mas o coração deles está longe de mim!"

Com o Tema: Discípulos Missionários a partir do Evangelho de Marcos,
a Igreja no Brasil, no MÊS DA BÍBLIA nos propõe,
"uma experiência mais profunda da fé, possibilitando um encontro pessoal
com Jesus Cristo vivo e, por ele, com o Pai, no Espírito Santo."


                                    Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa

Somos chamados a ajudar jovens a sintonizar voz de Cristo


Da Redação CN, com Jovens Conectados

O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude (CEPJ), Dom Eduardo Pinheiro da Silva, sdb, divulgou nesta quinta-feira, 30, uma carta aos párocos e administradores paroquiais por ocasião do mês da Bíblia, celebrado pela Igreja Católica, neste mês de setembro, em todo o país.

Dom Eduardo destaca que "o desafio para o jovem, assim como para todos os que aceitam Jesus como caminho, é escutar a voz de Cristo em meio a tantas outras vozes", e que todos somos chamados a auxiliar os jovens a "sintonizar a voz de Cristo".

“Deixemos o Ressuscitado alcançar-nos para, uma vez apaixonados pela sua Voz, irmos ao encontro de tantos adolescentes e jovens desanimados pelas estradas de Emaús. Maria nos auxilie a sermos, não somente homens ‘de palavra’; mas homens sacerdotes “da” Palavra! Os jovens esperam isto de nós", destaca Dom Eduardo na carta.

Leia, abaixo, a carta na íntegra:

Caros irmãos Párocos e Administradores Paroquiais,
Vigários Paroquiais e demais Presbíteros


“E, começando por Moisés e passando por todos os Profetas, explicou-lhes, em todas as Escrituras, as passagens que se referiam a ele” (Lc 24, 27). Que bom! Não caminhamos sozinhos! O Ressuscitado sempre nos rejuvenesce ao nos alcançar e nos recordar a aliança do amor incondicional de Deus por nós que não nos permite cair no desânimo, no individualismo e na omissão. Sua Palavra e presença nos conduzem a uma profunda comunhão com Ele e com os irmãos que caminham ao nosso lado. A passagem bíblica dos “Discípulos de Emaús” nos fortalece para a vida e nos compromete na missão de especiais comunicadores da Palavra aos jovens.

“Quereis, com dignidade e sabedoria, desempenhar o ministério da Palavra,
proclamando o Evangelho e ensinando a fé católica? Quero!” (Rito da Ordenação)

Deparamo-nos com a desafiadora realidade circundante, muitas vezes contrária e apática à mensagem do Evangelho. Que luta e ousadia!

“O desafio para o jovem – assim como para todos os que aceitam Jesus como caminho – é escutar a voz de Cristo em meio a tantas outras vozes” (Doc. 85, 60). Como ajudar as novas gerações, influenciadas por inúmeras propostas e orientações, na escuta dessa voz libertadora? Aos ruídos dos questionamentos existenciais se somam os diversos problemas socioculturais, bem como o agitado universo midiático no qual o jovem se encontra, se forma e se relaciona.

Esta realidade, no entanto, não nos desanima! As contradições da pós-modernidade nos mostram um dado interessante: há uma significativa abertura para se acolher a Palavra de Deus. Os jovens de hoje, quando acompanhados e bem formados, se predispõem a escutá-la, estudá-la e acolhê-la radicalmente.

Somos chamados a auxiliar os jovens a sintonizar a voz de Cristo! Como evangelizamos nesta mudança de época? Conhecemos as buscas e linguagens juvenis para comunicar-lhes a Palavra de Deus? Nossos espaços juvenis favorecem o contato com a Bíblia, seu estudo e oração? Nossos catequizandos são atraídos pela força da Palavra? Nossas homilias e palestras são porto seguro e incentivo missionário às novas gerações? As Sagradas Escrituras iluminam as relações familiares? Auxiliamos os jovens a se conectarem com Deus e a se capacitarem para a missão de serem evangelizadores de seus irmãos?

Abramo-nos para este novo mês, tão rico de celebrações e oportunidades de amadurecimento da vida cristã!  A Exaltação da Santa Cruz (dia 14) e a Festa de Nossa Senhora das Dores (dia 15) nos recordam a força da Palavra de Deus presente na Peregrinação dos Símbolos da JMJ que percorrem o país. Os preparativos para a festa da padroeira Nossa Senhora Aparecida, a celebração da abertura do Ano da Fé e do Dia Nacional da Juventude, que acontecem em outubro, sejam iluminados pelas Sagradas Escrituras.

Setembro: Mês da Bíblia. Deixemos o Ressuscitado alcançar-nos para, uma vez apaixonados pela sua Voz, irmos ao encontro de tantos adolescentes e jovens desanimados pelas estradas de Emaús. Maria nos auxilie a sermos, não somente homens ‘de palavra’; mas homens sacerdotes “da” Palavra! Os jovens esperam isto de nós.

“Particularmente as novas gerações têm necessidade de ser introduzidas na Palavra de Deus ‘através do encontro e do testemunho autêntico do adulto, da influência positiva dos amigos e da grande companhia que é a comunidade eclesial’” (Verbum Domini, 97)

“Que a graça esteja com todos os que amam nosso Senhor Jesus Cristo, em fidelidade”. (Ef 6,24)

Com estima e orações,

Dom Eduardo Pinheiro da Silva, sdb
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude (CEPJ)

Por que a política deve interessar os cristãos?

Jéssica Marçal
Da Redação CN

Arquivo
Para padre José Ernanne, os leigos cristãos podem e devem ser candidatos na política, assumindo sua missão de transformação da sociedade
Promessas e mais promessas. Isso é o que marca o período eleitoral, em que a população se prepara para escolher, como será nas próximas eleições do dia 7 de outubro, por exemplo, seus representantes municipais. Com uma tarefa importante nas mãos, nada melhor do que os cristãos se interarem também dos assuntos políticos, buscando formação e informação para um voto consciente.

E para quem pensa que o papel do leigo católico é passivo, restringindo-se a fazer uma escolha entre as opções oferecidas, padre José Ernanne Pinheiro diz o contrário. Ele é diretor executivo do Centro Nacional de Fé e Política Dom Helder Câmara (CEFEP) e destacou a possibilidade dos leigos serem também candidatos, assumindo sua missão de transformação da sociedade.

“Não só podem (ser candidato), mas devem. No nosso Centro de Fé e Política, na nossa 4ª turma agora nós temos vários candidatos a vereador e a prefeito, porque nós estamos exatamente formando cristãos para assumir uma política com critérios éticos”, disse.

Ele informou que o CEFEP preparou uma cartilha, intitulada "Eleições municipais 2012: cidadania para a democracia", em que se insiste que as eleições municipais são uma grande oportunidade dos cristãos atuarem com dignidade.

“Porque estão (os cristãos) mais próximos dos candidatos, então têm mais possibilidades de fazer chegar as suas opções, a defesa dos seus projetos, tendo consciência, do que nos dizia Paulo VI, de que a política é uma forma sublime de exercício da caridade”.

política x Política

Ainda falando sobre a importância dos cristãos se interessarem por assunto políticos, padre José Ernanne destacou uma distinção feita no "Documento de Puebla" (fruto da 3ª Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe - CELAM - em 1979) , uma observação importante que poderia passar despercebida.

“O documento de Puebla nos traz uma distinção importante: Política, com “p” maiúsculo, e política, com “p” minúsculo. Não quer dizer que uma é melhor do que a outra, mas se complementam. Política, com “p” maiúsculo, é a perspectiva do bem comum, da sociedade digna para a pessoa humana. A política, com “p” minúsculo seriam os partidos políticos. A posição nossa enquanto cristãos é na perspectiva do bem comum, de trazer valores para a sociedade”.

E para exercer esse papel de atuar buscando o bem comum, o padre revelou que a cartilha elaborada pelo CEFEP para as eleições segue o método “ver, julgar e agir” e no “agir”, foram elencados alguns critérios básicos.

“Quando se apresenta esse critério do ‘agir’, naturalmente é para fazer brotar todas as questões fundamentais. Essa cartilha que nós estamos divulgando tem feito muito bem, porque realmente parte da necessidade de criarmos um Estado mais digno para os brasileiros, depois fundamenta isso na Palavra de Deus e apresenta a proposta do agir”

Política e Doutrina Social da Igreja


Padre Ernanne destacou que os valores pertencentes ao Reino de Deus, como a verdade, a justiça, o bem comum e a fraternidade, devem ser buscados. Ele informou que o documento de preparação para o Sínodo traz uma frase que lhe chamou a atenção, dizendo que não é possível distinguir entre o espiritual, o temporal e o material porque Cristo veio salvar o mundo todo, Cristo é a unidade, Ele nos ama na unidade.

“Então me parece que a questão da Doutrina Social da Igreja são luzes, é essencial na missão, instrumento missionário para realmente construir essa nova sociedade e essa nova pessoa humana com que todos nós sonhamos para que concretizemos a aliança de Deus com a humanidade que é chamada ‘as bem aventuranças’”.


Leia mais
.: Dom Odilo emite nota orientando para voto consciente
.: Arquidiocese do Rio lança tópicos de reflexão para eleições.: Bispos do Tocantins divulgam nota sobre eleições municipais

Como encontrar minha vocação?



O caminho mais seguro e rápido para encontrarmos nossa vocação é o exercício diário de dedicar a vida aos outros. Servir um copo d'água, oferecer uma atenção qualquer, um telefonema, um sincero interesse pela vida de alguém, um tempo que se "perde" para escutar uma pessoa.

Grande segredo, entretanto, é fazer o bem sem olhar a quem. Lembra do ditado?

Medite sobre isso, por favor!

Agora vamos rezar juntos? Clique no blog.cancaonova.com/ricardosa.

Este conteúdo também pode ser acessado no iPhone

Com carinho e orações,


Seu irmão,
Ricardo Sá

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Lembranças do Padre Léo

Padre Léo, em sua ultima pregação em um acampamento na Canção Nova, emocionou multidões cantando Alô meu Deus.

Ecumenismo será tema do encontro do Papa com seus ex-alunos

Da Redação CN, com Rádio Vaticano

Arquivo/Agência Ecclesia
O Papa Bento XVI durante encontro com seus ex-alunos em 2011
A partir de quinta-feira, 30, até segunda, 3, os ex-alunos do professor Joseph Ratzinger, hoje Papa Bento XVI, se reunirão para o tradicional encontro anual de verão, em Castel Gandolfo. O grupo é formado por docentes religiosos e leigos que discutiram teses nos anos em que Bento XVI foi professor.

O encontro deste ano terá como tema “Resultados ecumênicos e questões de diálogo com o Luteranismo e o Anglicanismo”, e será inspirado no livro do presidente emérito do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, Cardeal Walter Kasper,.

Os participantes serão acolhidos na manhã de sábado pelo Papa, que participará do dia de trabalhos. No domingo, 2, o grupo estará no pátio da residência, para a oração do Angelus. O encontro se encerrará oficialmente na segunda-feira, 3, depois da celebração da missa.

A 36ª edição do encontro terá a presença, dentre outros, do presidente da Conferência Episcopal Austríaca, Cardeal Christoph Schoenborn, e do presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Ecumênico, Cardeal Kurt Koch. Também estará lá o representante evangélico Ulrich Wilckens, que traduziu e comentou o Novo Testamento e cujas obras têm grande importância para o ecumenismo.

O primeiro encontro do então professor Ratzinger com seus doutorandos foi depois de sua nomeação como arcebispo de Munique e Frisinga, em 1977. Desde então, o evento se repete a cada ano, centrado em um tema escolhido pelo Pontífice dentre uma série de propostas.

"Oração não é tempo perdido", diz Papa

Jéssica Marçal, com colaboração de Taysi Santos
Da Redação

Reuters
''João Batista não é apenas um homem de oração, de contato constante com Deus, mas também um guia para este relacionamento'', destacou o Papa
O Papa Bento XVI dedicou a catequese desta quarta-feira, 29, à memória litúrgica a São João Batista. Bento XVI destacou que a celebração do martírio de São João Batista ajuda os cristãos a se lembrarem do compromisso com o amor de Cristo, e que esta fidelidade só pode acontecer se for sólido o relacionamento com Deus, de forma que a oração não é tempo perdido.

Acesse.: NA ÍNTEGRA: Catequese de Bento XVI – 29/08/2012
“Oração não é tempo perdido, não é tirar o tempo das nossas atividades, incluindo as apostólicas, é exatamente o contrário: só se formos capazes de ter uma fiel vida de oração, constante, confiante, será o próprio Deus a nos dar força e capacidade para viver de modo feliz e sereno, superar as dificuldades e testemunhá-Lo com coragem”

O Pontífice lembrou que a oração sempre perpassou a vida de São João Batista, sendo a fonte desse exemplo de força e vida reta e coerente, gasta por Deus para preparar o caminho para Jesus. “Toda a existência do Precursor de Jesus é alimentada por um relacionamento com Deus. (...) Mas João Batista não é apenas um homem de oração, de contato constante com Deus, mas também um guia para este relacionamento”.

O Papa lembrou ainda que as pregações de João Batista procuravam convidar as pessoas não só ao arrependimento,  a fim de preparar o caminho para acolher o Senhor, mas também para reconhecer Jesus como o Cordeiro de Deus. “Tem em si a profunda humildade de mostrar Jesus como o verdadeiro Mensageiro de Deus, colocando-se à parte para que Cristo possa crescer, ser escutado e seguido”.

Após a catequese, Bento XVI fez uma saudação aos peregrinos de diversas línguas, entre eles os de Brasil e Portugal:

“Amados peregrinos de Portugal e do Brasil, e demais pessoas de língua portuguesa, sede bem-vindos! Uma saudação particular aos fiéis de Chã Grande, Natal e do Rio de Janeiro. Que o exemplo e a intercessão de São João Batista vos ajudem a viver a vossa entrega a Deus sem reservas, sobretudo por meio da oração e da fidelidade ao Evangelho, para que Cristo cresça em vós, guiando os vossos pensamento e ações. Com estes votos, de bom grado a todos abençôo” 

Que música você tem escutado?

A música tem poder em nossa vida

O canal da música traz, hoje, um podcast com André Florêncio , músico e missionário da Comunidade Canção Nova. O consagrado fala sobre o tipo de música que temos escutado. Esse é um assunto delicado, pois causa muita polêmica nas reuniões dos ministérios de música. Afinal, que tipo de música devemos ouvir?



Para ter uma resposta mais adequada sobre isso é preciso entender que a música exerce um "poder" sobre quem a escuta. Isso é de fácil identificação para nós músicos, pois, quando estamos tocando ou cantando, podemos sentir alterações em nossos sentimentos ao executarmos determinados acordes.

Um exemplo básico disso: um acorde menor é facilmente relacionado a expressões mais tristes como, na Semana Santa, a canção da Via-Sacra: "A morrer crucificado, meu Jesus é condenado". É uma canção que expressa grande tristeza. Já o tom maior expressa mais alegria, mas claro que não só isso. Um acorde com 7º em determinadas aplicações revela algo indeterminado, esperando uma resolução que seria a tônica maior da harmonia.

Ouça podcast na íntegra 



A música tem poder de criar "tribos", de fazer com que mudemos o estilo de cabelo ou que usemos roupas nada convencionais; ela até mesmo pode estimular o uso de drogas. Por outro lado, também tem o poder de incentivar e aumentar a fé. Entre nós músicos católicos costumamos dizer que a música é 70% do grupo de oração devido ao grande poder que ela tem de preparar o ambiente para a pregação da Palavra, a adoração e assim por diante. Daí, a importância da música ungida.

O fundador da Comunidade Canção Nova,monsenhor Jonas Abib, diz que devemos deixar de lado as músicas mundanas e buscar, no Espírito Santo de Deus, a inspiração. As músicas denominadas "raiz" e instrumentais podem ser ouvidas, desde que sejam bem escolhidas. O poder que você tem de fazer escolhas e a graça que o Espírito Santo lhe dá, por meio da oração individual e sua espiritualidade, serão o termômetro para aquilo que você ouve.

Está "na cara", então, que não dá para ter, em sua coleção musical, CDs e DVDs que o levem ao sexo, à violência, ao uso de drogas, à pornografia, à infidelidade, etc., coisas que vão contra a sua fé. Portanto, 50% das músicas executadas grandes artistas já devem ser eliminadas da coleção musical do músico cristão. Há, por outro lado, músicas boas que falam de boas coisas e trazem boas influências sem falar de Deus diretamente. Assim como há músicas que falam de amor sem expressaralgo barato, feito para satisfação pessoal. Posso até afirmar como o saudoso padre Léo: "Há pessoas que fezem música falando de amor para uma mulher, mas, na realidade, buscavam o amor de Deus sem saber".

André canta 'Prisioneiro do Amor'



Então, você vai me perguntar: "E aí, André? Essas músicas posso ouvir?". Eu lhe respondo com outra pergunta: O que essa música causa em você? Causa melancolia, o faz relembrar o passado, um beijo, um abraço... Ela o faz se lembrar de um passado triste e amargo, da humilhação vivida? O que ela causa em você? A nossa boca fala e canta e nosso ser expressa do que está cheio nosso coração. Se ouço, o dia todo, músicas que me levam ao pecado, nem que sejam em frases escondidas, fatalmente eu cairei naquele pecado mais cedo ou mais tarde. O que ouço passa a ser influência sobre o que toco e canto: Então, se ouço boas coisas, tocarei e cantarei boas coisas.

Não posso dizer para você que ouça ou não ouça determinado cantor ou banda, mas posso lhe perguntar:

O que você escuta tem ido ao encontro da fé que você professa, dos jovens que você quer salvar e do povo que você quer evangelizar? 


Reze, busque Jesus em adoração. Talvez seja esse o momento de fazer uma grande mudança de influências musicais.

Deus o abençoe. Eu continuo lutando!



André W. Florêncio
Missionário da Comunidade Canção Nova

O sexo e a fidelidade conjugal


Sem fidelidade não há união sólida nem família feliz

A Igreja ensina o sentido profundo do sexo; e ele só deve ser vivido no casamento.

“Pela união dos esposos se realiza o duplo fim do matrimônio: o bem dos cônjuges e a transmissão da vida. Esses dois significados ou valores do casamento não podem ser separados sem alterar a vida espiritual do casal e sem comprometer os bens matrimoniais e o futuro da família. Assim, o amor conjugal entre o homem e a mulher atende à dupla exigência da fidelidade e da fecundidade”.

No casamento, a intimidade dos esposos se torna um sinal de comunhão espiritual. "Entre os batizados, os vínculos do matrimônio são santificados pelo sacramento" (Catecismo da Igreja Católica § 2360). O Papa João Paulo II ensinou que: “A sexualidade, mediante a qual o homem e a mulher se doam um ao outro com os atos próprios e exclusivos dos esposos, não é, em absoluto, algo puramente biológico, mas diz respeito ao núcleo íntimo da pessoa humana como tal. Ela só se realiza de maneira verdadeiramente humana se for parte integral do amor com o qual homem e mulher se empenham totalmente um para com o outro até a morte” (Familiaris Consortio,11).

Igreja gosta de apresentar aos esposos o exemplo de Tobias e Sara:

“Tobias levantou-se do leito e disse a Sara: “Levanta-te, minha irmã, oremos e peçamos a nosso Senhor que tenha compaixão de nós e nos salve”. Ela se levantou e começaram a orar e a pedir para obterem a salvação. Ele começou dizendo: “Bendito sejas tu, Deus de nossos pais. Tu criaste Adão e para ele criaste Eva, sua mulher, para ser seu sustentáculo e amparo, e para que de ambos derivasse a raça humana. Tu mesmo disseste: 'Não é bom que o homem fique só; façamos-lhe uma auxiliar semelhante a ele'. E agora não é por desejo impuro que tomo esta minha irmã, mas com reta intenção. Digna-te ter piedade de mim e dela e conduzir-nos juntos a uma idade avançada”. E disseram em coro: “Amém, amém”. E se deitaram para passar a noite” (Tb 8,4-9).

Assista também: "Harmônia conjugal e sexual do casal cristão", com prof. Felipe Aquino 


“Os atos com os quais os cônjuges se unem íntima e castamente são honestos e dignos. Quando realizados de maneira verdadeiramente humana, significam e favorecem a mútua doação pela qual os esposos se enriquecem com o coração alegre e agradecido” (GS 49,2). A sexualidade é fonte de alegria e de prazer lícitos. Papa Pio XII mostrou claramente a legitimidade do prazer sexual para os cônjuges; o prazer sexual é legítimo para o casal. O próprio Criador estabeleceu que, nesta função (isto é, de geração), os esposos sentissem prazer e satisfação do corpo e do espírito. Portanto, os esposos não fazem nada de mal em procurar este prazer e em gozá-lo. Eles aceitam o que o Criador lhes destinou. Contudo, os esposos devem saber se manter nos limites de uma moderação justa” (Pio XII, discurso de 29 de outubro de 1951).

Sem fidelidade conjugal o casal não tem vida sexual harmoniosa. Ela é a base do casamento; sem isso não há união sólida e família feliz. A infidelidade é hoje uma grande praga para as famílias; por isso a Igreja a combate fortemente: “O casal de cônjuges forma 'uma íntima comunhão de vida e de amor que o Criador fundou e dotou com suas leis. Ela é instaurada pelo pacto conjugal, ou seja, o consentimento pessoal irrevogável' (GS 48, 1). Os dois se doam definitiva e totalmente um ao outro. Não são mais dois, mas formam doravante uma só carne. A aliança contraída livremente pelos esposos lhes impõem a obrigação de a manter una e indissolúvel (Cf. CDC, cân. 1056). 'O que Deus uniu, o homem não separe' (Mc 10,9; Cf. Mt 19,1-12 e CIC §2364)."

"Aos casados mando (não eu, mas o Senhor) que a mulher não se separe do marido. E, se ela estiver separada, que fique sem se casar ou que se reconcilie com o seu marido. Igualmente o marido, não repudie a sua mulher” (1 Cor 7,10-11). É muito importante entender isto que o Catecismo da Igreja Católica ensina ao casal cristão:
“A fidelidade exprime a constância em manter a palavra dada. Deus é fiel. O sacramento do matrimônio faz o homem e a mulher entrarem na fidelidade de Cristo à sua Igreja. Pela castidade conjugal, eles testemunham este mistério perante o mundo” (CIC §2365).

São João Crisóstomo, bispo de Constantinopla e doutor da Igreja, do século V, sugere aos homens recém-casados que falem assim à sua esposa: “Tomei-te em meus braços, amo-te, prefiro-te à minha própria vida, porque a vida presente não é nada e o meu sonho mais ardente é passá-la contigo, de maneira que estejamos certos de não sermos separados na vida futura que nos está reservada [...]. Ponho teu amor acima de tudo, e nada me seria mais penoso que não ter os mesmos pensamentos que tu tens” (Hom. in Eph. 20,8: PG 62,146-147).

Felipe Aquino
felipeaquino@cancaonova.com

Santo do Dia - Martírio de São João Batista 29 de Agosto


Martírio de São João Batista

29 de Agosto

Com satisfação lembramos a santidade de São João Batista que, pela sua vida e missão, foi consagrado por Jesus como o último e maior dos profetas: "Em verdade eu vos digo, dentre os que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João, o Batista...De fato , todos os profetas, bem como a lei, profetizaram até João. Se quiserdes compreender-me, ele é o Elias que deve voltar." (Mt 11,11-14)

Filho de Zacarias e Isabel, João era primo de Jesus Cristo, a quem "precedeu" como um mensageiro de vida austera, segundo as regras dos nazarenos.

São João Batista, de altas virtudes e rigorosas penitências, anunciou o advento do Cristo e ao denunciar os vícios e injustiças deixou Deus conduzí-lo ao cumprimento da profecia do Anjo a seu respeito: "Pois ele será grande perante o Senhor; não beberá nem vinho, nem bebida fermentada, e será repleto do Espírito Santo desde o seio de sua mãe. Ele reconduzirá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus: e ele mesmo caminhará à sua frente..." ( Lc 1, 15)

São João Batista desejava que todos estivessem prontos para acolher o Mais Forte por isso, impelido pela missão profética, denunciou o pecado do governador da Galileia: Herodes, que escandalosamente tinha raptado Herodíades - sua cunhada - e com ela vivia como esposo.

Preso por Herodes Antipas em Maqueronte, na margem oriental do Mar Morto, aconteceu que a filha de Herodíades (Salomé) encantou o rei e recebeu o direito de pedir o que desejasse, sendo assim, proporcionou o martírio do santo, pois realizou a vontade de sua vingativa mãe: "Quero que me dês imediatamente num prato, a cabeça de João, o Batista" (Mc 6,25)

Desta forma, através do martírio, o Santo Precursor deu sua vida e recebeu em recompensa a Vida Eterna reservada àqueles que vivem com amor e fidelidade os mandamentos de Deus.

São João Batista, rogai por nós!

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Santo do dia - Santo Agostinho 28 de Agosto

Santo Agostinho

28 de Agosto

Celebramos neste dia a memória do grande Bispo e Doutor da Igreja que nos enche de alegria, pois com a Graça de Deus tornou-se modelo de cristão para todos. Agostinho nasceu em Tagaste, no norte da África, em 354, filho de Patrício (convertido) e da cristã Santa Mônica, a qual rezou durante 33 anos para que o filho fosse de Deus.

Aconteceu que Agostinho era de grande capacidade intelectual, profundo, porém, preferiu saciar seu coração e procurar suas respostas existentes tanto nas paixões, como nas diversas correntes filosóficas, por isso tornou-se membro da seita dos maniqueus.

Com a morte do pai, Agostinho procurou se aprofundar nos estudos, principalmente na arte da retórica. Sendo assim, depois de passar em Roma, tornou-se professor em Milão, onde envolvido pela intercessão de Santa Mônica, acabou frequentando, por causa da oratória, os profundos e famosos Sermões de Santo Ambrósio. Até que por meio da Palavra anunciada, a Verdade começou a mudar sua vida.

O seu processo de conversão recebeu um "empurrão" quando, na luta contra os desejos da carne, acolheu o convite: "Toma e lê", e assim encontrou na Palavra de Deus (Romanos 13, 13ss) a força para a decisão por Jesus:"...revesti-vos do Senhor Jesus Cristo...não vos abandoneis às preocupações da carne para lhe satisfazerdes as concupiscências".

Santo Agostinho, que entrou no Céu com 76 anos de idade (no ano 430), converteu-se com 33 anos, quando foi catequizado e batizado por Santo Ambrósio. Depois de "perder" sua mãe, voltou para a África, onde fundou uma comunidade cristã ocupada na oração, estudo da Palavra e caridade. Isto, até ser ordenado Sacerdote e Bispo de Hipona, santo, sábio, apologista e fecundo filósofo e teólogo da Graça e da Verdade.


Santo Agostinho, rogai por nós!

Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php?&dia=28&mes=8&ano=2012

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Santo do Dia - Santa Mônica 27 de Agosto

Santa Mônica

27 de Agosto

Neste dia, celebramos a memória desta grande santa, que nos provou com sua vida que realmente "tudo pode ser mudado pela força da oração." Santa Mônica nasceu no norte da África, em Tagaste, no ano 332, numa família cristã que lhe entregou – segundo o costume da época e local – como esposa de um jovem chamado Patrício.

Como cristã exemplar que era, Mônica preocupava-se com a conversão de sua família, por isso se consumiu na oração pelo esposo violento, rude, pagão e, principalmente, pelo filho mais velho, Agostinho, que vivia nos vícios e pecado. A história nos testemunha as inúmeras preces, ultrajes e sofrimentos por que Santa Mônica passou para ver a conversão e o batismo, tanto de seu esposo, quanto daquele que lhe mereceu o conselho: "Continue a rezar, pois é impossível que se perca um filho de tantas lágrimas".

Santa Mônica tinha três filhos. E passou a interceder, de forma especial, por Agostinho, dotado de muita inteligência e uma inquieta busca da verdade, o que fez com que resolvesse procurar as respostas e a felicidade fora da Igreja de Cristo. Por isso se envolveu em meias verdades e muitas mentiras. Contudo, a mãe, fervorosa e fiel, nunca deixou de interceder com amor e ardor, durante 33 anos, e antes de morrer, em 387, ela mesma disse ao filho, já convertido e cristão: "Uma única coisa me fazia desejar viver ainda um pouco, ver-te cristão antes de morrer".

Por esta razão, o filho Santo Agostinho, que se tornara Bispo e doutor da Igreja, pôde escrever: "Ela me gerou seja na sua carne para que eu viesse à luz do tempo, seja com o seu coração para que eu nascesse à luz da eternidade".


Santa Mônica, rogai por nós!

domingo, 26 de agosto de 2012

Evangelho dia 26 de Agosto de 2012


Evangelho (João 6,60-69)

Domingo, 26 de Agosto de 2012
21º Domingo Comum


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 60muitos dos discípulos de Jesus, que o escutaram, disseram: “Esta palavra é dura. Quem consegue escutá-la?”
61Sabendo que seus discípulos estavam murmurando por causa disso mesmo, Jesus perguntou: “Isto vos escandaliza? 62E quando virdes o Filho do Homem subindo para onde estava antes? 63O Espírito é que dá vida, a carne não adianta nada. As palavras que vos falei são espírito e vida. 64Mas entre vós há alguns que não crêem”.
Jesus sabia, desde o início, quem eram os que não tinham fé e quem havia de entregá-lo.
65E acrescentou: “É por isso que vos disse: ninguém pode vir a mim, a não ser que lhe seja concedido pelo Pai”.
66A partir daquele momento, muitos discípulos voltaram atrás e não andavam mais com ele.
67Então, Jesus disse aos doze: “Vós também vos quereis ir embora?”
68Simão Pedro respondeu: “A quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna.69Nós cremos firmemente e reconhecemos que tu és o Santo de Deus”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/index.php?&dia=26&mes=8&ano=2012

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

LIDAR COM O SOFRIMENTO


Conteúdo enviado pelo internauta Thiago Puccini
A vida é como uma rosa: bela e encantadora. No entanto, como toda rosa ela também tem seu espinho: o sofrimento. Muitas vezes, nós nos perguntamos: “Por que isso acontece comigo?”, “Por que eu tenho de sofrer?”, “Onde está Deus neste momento?”. É comum nos indignarmos com as dificuldades.
Entretanto, antes de tudo, precisamos avaliar se o que se passa em nossa vida é  uma circunstância crítica de fato. Quantas vezes criamos uma tempestade em um copo d’água por pouca coisa! Isso acontece quando nos falta calma para refletir com clareza.
“Permaneça firme na dor” e “aceite tudo o que lhe acontecer” (cf. Eclo 2,4). Independente do tamanho do seu problema, há pelo menos um modo de resolvê-lo: revista-se de esperança e lembre-se de que Deus é justo e está contigo.
As lágrimas só valem a pena quando são usadas para regar o nosso jardim, pois a tristeza ininterrupta nos leva para o mar da depressão.
O poeta Paul Claudel disse que “Cristo não veio abolir o sofrimento nem mesmo explicá-lo; mas lhe trazer a plenitude da Sua presença”. Por isso, quem sofre com Cristo, sofre em paz. Em situações de descontrole, a oração é um remédio. “Não te perturbes no tempo da infelicidade” (Eclo 2,2).
Determinadas situações acontecem, porque o Senhor quer nos mostrar algo. Como afirma Santo Tomás de Aquino, “todas as obras de Deus procedem de sua bondade para felicidade dos bem-aventurados”.
“As lágrimas só valem a pena quando são usadas para regar o nosso jardim, pois a tristeza ininterrupta nos leva para o mar da depressão”
Nosso Pai age em nossa vida para nos ajudar a alcançar nosso amadurecimento e salvação. O emprego perdido, o término de um namoro, a ocasião não aproveitada. Todas essas ocorrências são boas oportunidades para refletirmos. Deus é justo e não nos abandona. “Sofre as demoras de Deus (…) a fim de que, no derradeiro momento, tua vida se enriqueça” (cf. Eclo 2,3).
Antoine de Saint-Exupèry, escritor do famoso livro “O pequeno príncipe”, é sábio em suas palavras: “A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido. Não na vitória propriamente dita”. A superação é um dos maiores contentamentos que o homem pode ter. O sofrimento é inevitável, no entanto, o que importa é aceitar a realidade e encará-la corajosamente.
“Põe tua confiança em Deus e Ele te salvará” (Eclo 2,6). Seja persistente e não se deixe resignar. “Orienta bem o teu caminho” (Eclo 2,6). Assim você será mais forte e preparará sua alma para futuras provações.
Veja mais artigos do autor

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

O Pão Nosso de Cada Dia - Pe. Fernando Cardoso


23 de agosto de 2012
Hoje, na América latina e, portanto, no Brasil também, nós celebramos a festa de santa Rosa de Lima. Ela é nossa padroeira; nasceu, viveu e morreu em Lima, no Peru no final do século XVI e início do século XVII. Sua vida neste mundo não foi além dos 32 anos de idade; madura, ela partiu então para a eternidade. Foi terceira dominicana, uma mulher de altíssima vida penitente e de altíssima contemplação. É uma dessas santas que nós mais admiramos, que imitamos tais foram as penitências a que santa Rosa se submeteu. Claro que tudo isto é perfeitamente compreensível através do cristianismo do século XVI e XVII que ela, no Peru, então colônia espanhola, vice-reino da Espanha, recebeu.
O texto evangélico de sua festa, no entanto, é muito profundo e nos diz respeito: o reino dos céus é semelhante a alguém que, repentinamente sem buscar, sem se dar pela conta, sem procurar, encontrou com um grandíssimo tesouro escondido dentro da terra. Vendeu tudo o que possuía, redimensionou toda sua vida - o texto não nos diz, mas podemos imaginar que terá recebido críticas de muitos. “Pessoa irresponsável! Como fará para viver então se vende todas as suas propriedades?” Mas ele era certeiro! Aquela pessoa sabia perfeitamente o que é que procurava e quanto precisava para comprar aquele terreno com o tesouro dentro, que ninguém imaginava que lá existisse.
Santa Rosa é uma pessoa que, a seu modo, descobriu este tesouro, descobriu esta pérola preciosa, redimensionou toda sua vida, vendeu os seus bens, deve ter sido taxada de desequilibrada por alguns, certamente sua família sonhava para com ela um belo casamento e uma bela família; nada disto apaixonou Rosa de Lima, viveu apaixonada por Jesus Cristo. Aqui nós podemos imitá-la sim, pois todos aqueles e aquelas que, após uma vida cristã de certo calibre, se sentem apaixonados por Jesus e, sobretudo, aqueles que por causa de Jesus são capazes de algum sacrifício, estes sabem, por experiência própria, o que viveu santa Rosa de Lima, o que ela deixou para trás e o que procurou e recebeu pela frente. Muito antes dela, Paulo tinha feito a mesma experiência. O que era para mim de grande valia, agora é esterco diante do conhecimento supereminente que tem de meu Senhor Jesus Cristo. E cada um de nós, com a Graça de Deus, pode fazer, um dia na vida, a mesma experiência. 

IDENTIFICAR O ORGULHO E ANDAR EM HUMILDADE


Conteúdo enviado pelo internauta Thiago Puccini (Jovens Sarados - Missão Barra Funda)
Cada pessoa é atormentada por determinados pecados que representam uma fraqueza a ser superada. No entanto, todos lidam com o orgulho, porque, como disse o escritor Steve Gallagher, “é uma parte inevitável da natureza caída do homem” e que difere daquilo que é Deus, portanto nos afasta d’Ele. Então, como percebê-lo?
Peço ao Senhor, assim como Davi: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno” (Salmo 139, 23-24). Também a Maria, exemplo de humildade, que auxilia como mãe que é a enxergar tal erro.
Ao mesmo tempo, reflexões são necessárias. Um exemplo: há situações em que se sente superior aos outros (altivez)? Busca e deseja conquistar, invariavelmente, a admiração das pessoas (vaidade)? Resiste à autoridade de Deus (rebeldia)? Ofende-se com facilidade e acha que os outros são uma ameaça e prejudicariam sua imagem (autoproteção)? Não aceita correção, tornando-se inacessível ou aquele que “sabe tudo”? Há momentos em que se acha “mais santo” que os outros, só porque tem determinadas atitudes corretas (soberba espiritual)? E lembre-se, como muito bem observou o escritor Spurgeon, “ninguém tem mais orgulho do que os que sonham que não têm nenhum”.
Após esse momento de autoconhecimento, agradeça a Deus, porque, se agora as coisas são mais claras, é porque o coração abriu janelas para a graça de Jesus iluminar os lugares antes escuros.
Quando puro de coração, a miséria se torna evidente e surge o arrependimento e a necessidade incômoda de reconciliar-se com Deus. O sacramento da confissão fica à espera da pessoa. A oportunidade de começar de novo a aguarda, mas isso é só um passo para onde se pretende chegar.
É hora de mudar, de tornar-se mais humilde! Com suas palavras, Paulo orienta: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superior a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual para o que é dos outros” (Flp 2,3-4). Ou seja, o próximo não deve ser visto como rival, mas alguém a ser amado, com quem se pode dialogar, envolver-se e exaltar como Filho de Deus único e que tem tanto a nos ensinar.
Por fim, falo de mim mesmo. Confesso que a busca pela humildade tem me ajudado a enxergar minhas atitudes erradas em casa, no trabalho, na minha participação na Igreja, no relacionamento com o próximo e, principalmente, com Deus. Tento ajustar-me nem acima nem abaixo, mas no lugar certo. Como é difícil! Contudo, não é impossível, ainda mais com o Senhor ao meu lado.
Que tal você fazer esta experiência também?
Veja mais:

Para que sofrer sozinho?


“Naquele dia em que gritei , vós me escutastes, ó Senhor” (Sl 137).
Como o salmista, ao longo de todo este dia, lancemos um grito ao Senhor, em todas as circunstâncias. Talvez até achemos que somos capazes de resolver todas as coisas sozinhos, mas é um engano pensarmos assim. Precisamos e dependemos do auxílio do Senhor.
“Naqueles dias, a Rainha Ester, temendo o perigo de morte que se aproximava, buscou refúgio no Senhor. Prostrou-se por terra, desde a manhã até o anoitecer, juntamente com suas servas, e disse: Deus de Abrãao, Deus de Isaac e Deus de Jacó, tu és bendito. Vem em meu socorro, pois estou só e não tenho outro defensor fora de ti, Senhor” (Ester 4,17).
A nossa atitude precisa ser também como a da Rainha Ester que, em meio ao perigo, buscou refúgio no Senhor e não nas coisas, nas pessoas e nos bens que possuía, muito menos nas suas próprias forças, porque o único auxílio eficaz para a nossa vida é o que vem do Senhor.
Aconteça o que acontecer, neste dia de hoje, lancemos um grito ao céu: “Senhor, salva-me, livra-me do mal”.
Jesus, eu confio em Vós!

Carta resposta do Padre Zezinho


Carta resposta do Padre Zezinho from João Paulo Radd


Carta resposta do Padre Zezinho — Presentation Transcript

  • 1. Ligue o somClique para avançar
  • 2. O texto que se segue foi extraído do jornal daComunidade Luz da Vida de Goiânia-GO. Trata-sede uma carta resposta do Padre Zezinho a umjovem protestante que lhe escreveu.
  • 3. Pequeno trecho da carta de Paulo Souza aoPadre Zezinho:“Eu, evangélico e ex-católico.Maria não pode nada. Menos ainda asimagens dela que vocês adoram. Sua igrejacontinua idólatra. Já fui católico e hoje soufeliz porque só creio em Jesus.Você com suas canções é o maiorpropagador da idolatria Mariana. Converta-se enquanto é tempo. Senão vai para oinferno com suas canções idólatras...”Paulo Souza, São Paulo-SP.
  • 4. Agora veja, na íntegra, aresposta de Padre Zezinho...Uma lição de sabedoria...
  • 5. Sua carta chega a ser cruel. Em quatropáginas você consegue mostrar o queum verdadeiro evangélico não pode ser. Seusirmãos mais instruídos na fé sentiriamvergonha de ler o que você disse em sua cartacontra nós católicos e contra Maria. O irônicode tudo isso é que, enquanto você vai para láagredindo a mãe de Jesus e diminuindo opapel dela no cristianismo, um número enormede evangélicos, fala dela, hoje, com maiorcarinho e começa a compreender adevoção dos católicos por ela.
  • 6. Você pegou o bonde atrasado ena hora errada e deve ter ouvido ospastores errados, porque, entres osevangélicos, tanto como entre nóscatólicos, Maria é vista como a primeiracristã, e a figura mais expressiva daevangelização depois de Jesus. Elessabem da presença firme e fiel de Maria aolado do filho divino.
  • 7. Evangélico hoje, meu caro, é alguém quepautou sua vida pelos evangelhos e, porser um bom evangélico, não é precisoagredir nem os católicos nem a Mãe deJesus.Você é muito mais antimariano do quecristão ou evangélico. Seu negócio éagredir Maria e os católicos. Nem osbons evangélicos querem gente comovocê no meio deles.
  • 8. Quanto ao que você afirma, que nósadoramos Maria, sinto pena de você.Enquanto católico, segundo você afirma, jánão sabia quase de bíblia por culpa da nossaigreja, agora que virou evangélico pareceque sabe menos ainda de bíblia, de Jesus, deDeus e do reino dos céus.
  • 9. Está confundindo culto de veneraçãocom culto de adoração, estácaluniando quem tem imagens deMaria em casa ao acusá-los deidólatras. Ora, Paulo, há milhões decatólicos que usam das imagens esinais do catolicismo de maneiraserena e inteligente, e você usavaerrado, teria que aprender.
  • 10. Ao invés disso foi para outra igreja aprender a decidir quem vai para o céu e quem vai para o inferno. Tornou-se juiz da fé dos outros.
  • 11. Deu um salto gigantesco em seismeses, de católico tornou-seevangélico, pregador de suaigreja e já se coloca como aquarta pessoa da SantíssimaTrindade, porque está decidindoquem vai para o céu e quem vaipara o inferno.
  • 12. Mais uns dois anos, talvez dê umgolpe de estado no céu e se tornea primeira pessoa da SantíssimaTrindade. Então talvez, mande Deusavisar quem você vai por no céu e noinferno.
  • 13. Sua carta é pretensiosa. Sugiro que estudemais evangelismo, e em poucos anos,estará escrevendo cartas bem maisfraternas e bem mais serenas do que esta.Desejo de todo o coração que vocêencontre bons pastores evangélicos. Hámuitíssimos homens de Deus nas igrejasevangélicas que ensinarão a você como serum bom cristão e como respeitar a religiãodos outros.
  • 14. Isso você parece que perdeu quandodeixou de ser católico. Era um direitoque você tinha: procurar sua paz. Masparece que não a encontrou ainda, ajulgar pela agressividade de suaspalavras.
  • 15. Quanto a Maria, nenhum problema:é excelente caminho para Jesus. Atéporque, quem está perto de Maria,nunca está longe de Jesus. Elanunca se afastou, tire isso por vocêmesmo.
  • 16. Se você se deu ao trabalho de meescrever uma carta para me levar aJesus, e se acha capaz disso, imagineentão o poder da mãe de Deus! DeJesus ela entende mais do que você.
  • 17. Ou, inebriado com a nova fé, você seacha mais capaz do que ela? Se vocêpode sair por aí escrevendo cartaspara aproximar as pessoas de Jesus,Maria pode milhões de vezes maiscom sua prece de mãe. Ela já está nocéu e você ainda está aqui apontandoo dedo contra os outros e decidindoquem vai ou quem não vai para lá.
  • 18. Grato por sua carta. Mostrou-meporque devo lutar pela compreensãoentre as igrejas. É por causa de gente como você. (Pe. Zezinho -scj)
  • 19. Tudo por Jesus, nada sem Maria
  • 20. Bendita sois vós entre as mulheres
  • 21. Repasse esta mensagem a todos os seus contatos.Precisamos defender a nossa fé com a mesma sabedoria e coragemdo nosso querido Pe. Zezinho.
  • 22. Fonte: Jornal da Comunidade Luz da Vida – Goiânia-GO.Músicas: Maria de Nazaré (Instrumental - Pe Zezinho) Não troco a minha fé (Pe. Zezinho)Imagens: Google e InternetFormatação: Maria Eterna (eterna.agape@hotmail.com)

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Santo do Dia - Nossa Senhora Rainha 22 de Agosto


Nossa Senhora Rainha

22 de Agosto

Instituída pelo Papa Pio XII, celebramos hoje a Memória de Nossa Senhora Rainha, que visa louvar o Filho, pois já dizia o Cardeal Suenens: "Toda devoção a Maria termina em Jesus, tal como o rio que se lança ao mar".

Paralela ao reconhecimento do Cristo Rei encontramos a realeza da Virgem a qual foi Assunta ao Céu. Mãe da Cabeça, dos membros do Corpo místico e Mãe da Igreja; Nossa Senhora é aquela que do Céu reina sobre as almas cristãs, a fim de que haja a salvação: "É impossível que se perca quem se dirige com confiança a Maria e a quem Ela acolher" (Santo Anselmo).

Nossa Senhora Rainha, desde a Encarnação do Filho de Deus, buscou participar dos Mistérios de sua vida como discípula, porém sem nunca renunciar sua maternidade divina, por isso o evangelista São Lucas a identifica entre os primeiros cristãos: "Maria, a mãe de Jesus" (Atos 1,14). Diante desta doce realidade de se ter uma Rainha no Céu que influencia a Terra, podemos com toda a Igreja saudá-la: "Salve Rainha" e repetir com o Papa Pio XII que instituiu e escreveu a Carta Encíclica Ad Caeli Reginam (à Rainha do Céu): "A Jesus por Maria. Não há outro caminho".


Nossa Senhora Rainha, rogai por nós!

Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php?&dia=22&mes=8&ano=2012

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Santo do Dia - São Pio X 21 de Agosto


São Pio X

21 de Agosto

Celebramos hoje um Papa que mereceu ser reconhecido por santo, embora na humildade típica das almas abençoadas, José Sarto respondia àqueles que o chamavam de santo: "Não santo, mas Sarto". Nascido em 1835 ao norte da Itália e de família muito simples e religiosa, o pequeno José, com muito esforço e sacrifício conseguiu – com o apoio dos pais – estudar e entrar para o Seminário.

Com sua permanente autodefinição: "um pobre vigário da roça", José Sarto percorreu com simplicidade o caminho que o Espírito Santo traçou da responsabilidade de vigário de uma pequena aldeia até o Papado. Tomando o nome de Pio X, chamava a atenção pela modéstia e pobreza que o possibilitava à vivência da sua idéia-força: "Restaurar todas as coisas em Cristo".

São Pio X foi Papa de 1903 a 1914. Ocupado com a pastoral, São Pio X realizou reformas na liturgia, favoreceu a comunhão diária e a comunhão das crianças, sendo que no campo doutrinal rebateu por amor à Verdade o relativismo moderno. Sorridente, pai e pastor, São Pio X entrou no Céu com 79 anos, deixando para a Igreja o seu testemunho de pobreza, pois conta-se o fato, tomou dinheiro emprestado para comprar as passagens de ida e volta rumo ao conclave que o teria escolhido Papa, pois não acreditava num erro do Espírito Santo.


São Pio X, rogai por nós!


Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php?&dia=21&mes=8&ano=2012

domingo, 19 de agosto de 2012

Evangelho dia 19 de Agosto de 2012


Evangelho (Lucas 1,39-56)


Domingo, 19 de Agosto de 2012
Assunção de Nossa Senhora


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naqueles dias, 39Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia.
40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel.
41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.
46Então Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o respeitam.
51Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia,55conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”.
56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.



- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.


Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/index.php?&dia=19&mes=8&ano=2012

Postagens populares

Google Plus


Google+
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...