Pesquisar este blog

Compartilhe



domingo, 1 de julho de 2012

NAMORO: O QUE É, COMO ACONTECE, ONDE VAI DAR


Paixão, amor, desejo, sexo, ficar, compromisso, casar ou comprar uma bicicleta... Que confusão! Com tantos termos e conceitos que a sociedade moderna impõe ao tempo do namoro fica a pergunta: Será que não estamos travados?
Desde o tempo das cavernas a forma de relacionamento entre o homem e a mulher passou por várias mudanças ao longo da história. Sobretudo com as grandes transformações da sociedade do século XX e XXI estas mudanças continuaram a acontecer, mas junto com elas também vieram as perdas de alguns valores fundamentais para um relacionamento sadio.
A história deu várias voltas e chegamos aos dias de hoje com o namoro estilo “test drive”, no qual é preciso a experiência antes de um compromisso sério. Com a desculpa de que estamos vivendo numa nova geração com novas formas de relacionamento a pessoa é de todos, ao mesmo tempo em que não é de ninguém, e nesta confusão perguntamos: Afinal, o que é o tempo do namoro?
“Namoro deve ser olhado sob a ótica da vocação, ou seja, é um tempo de preparação para se assumir uma vocação específica que é o matrimônio”, afirma padre Paulo Ricardo.
Para o casal de namorados Ralphy e Tamires, integrantes da Companhia de Artes CN, o namoro é um tempo sério de conhecimento. “Quando o Ralphy me procurou ele me disse: ‘Tamy, eu não quero ficar com você para depois namorar, vamos fazer um caminho de conhecimento, aprofundar na amizade, antes de namorarmos’”, declarou a jovem que namora Ralphy há 5 anos.
“Eu acho que as pessoas confundem muito a paixão com o amor. Existe, sim, a paixão, aquela coisa gostosa de estar ao lado da pessoa, de querer vê-la, de pensar o tempo todo nela, etc. Mas quando você começa a conviver, a ver os defeitos, as falhas, a conhecer a pessoa como ela é realmente, é aí que entra o amor”, afirma Ralphy.
Sim, o que Ralphy declarou acima é algo que a galera confunde muito: a paixão (desejo) com o amor. Quem nunca ouviu aquela famosa frase: “Se você me ama me dê uma prova de amor”? Nem precisamos adivinhar a intenção dessa “prova de amor”, não é verdade?
Chegamos então a um assunto que é meio tabu entre os jovens, inclusive os de dentro da Igreja: o sexo no namoro. “O sexo diz para a outra pessoa: ‘Eu me entrego inteiro para você’. Se o sexo diz isso, que sentido tem eu dizer ‘eu me entrego inteiro para você’ e depois me levantar e ir para a minha casa?”, indaga padre Paulo Ricardo. Para o sacerdote, o sexo no namoro é uma mentira porque divide o corpo e a alma. “O sexo no namoro, em vez de solidificar a relação, a abala, porque fica sempre a dúvida: ‘Será que esta pessoa me ama ou está usando o meu corpo?’”
Padre Paulo Ricardo está correto segundo a Associação Americana de Psicologia, que realizou uma pesquisa com mais de dois mil casais nos Estados Unidos da América. O estudo constatou que os casais que tiveram relação sexual somente depois do casamento obtiveram nota 22% mais alta na estabilidade conjugal, 15% mais alta na qualidade do diálogo entre os cônjuges e 20% mais alta na qualidade da vida sexual em comparação com casais que não viveram a castidade no namoro.
Ralphy e Tamires vivem a castidade no namoro e testemunham os aspectos positivos na vida deles. “Eu vejo pelas consequências na vida dos meus amigos – que não optaram pela castidade no namoro – que eu fiz a escolha certa”, testemunha o jovem. Para Tamires, muitos jovens querem viver essa virtude [castidade], mas muitas vezes não encontram pessoas que lhes digam que isso é possível e bom. “Tenho um amigo na faculdade que ficou abismado por eu não fazer sexo no namoro, e quando eu disse a ele que era possível ele disse: ‘Nossa! Bem que eu poderia propor isso para minha namorada’. Então a sua vida acaba sendo um testemunho”, afirma a jovem.

Clarissa entrevista pe. Paulo Ricardo
“As verdades que a Igreja prega a pessoa pode enxergar dentro de si. Depois que você passou à noite ficando, ficando, ficando; você constata que existe um vazio no interior. Então se o jovem for sincero com ele mesmo ele vai perceber que, no final de uma noite em que ele ficou com 2, 3, 5 pessoas, vai encontrar na sua alma a tristeza, a desilusão e o vazio”, salienta padre Paulo, referindo-se ao “ficar” tão comum entre os jovens.
Sim, namoro é um tempo bom, um tempo de curtir um ao outro com respeito e limites. Tudo o que começa certo tende a crescer e dar muitos frutos. “Se você começa certo vai dar certo, mesmo que tenha alguns tropeços no caminho, mas você alcança a vitória”, testemunha Tamyres.
Voltamos então à nossa pergunta inicial: o que é o namoro? Namoro é um tempo de crescimento no amor e no conhecimento de um homem e de uma mulher que almejam se entregar um para o outro, de corpo e alma, para o resto de suas vidas. Este amor, provado, comprovado e abençoado por Deus tem um nome: matrimônio. E o fruto desse amor amadurecido entre um homem e uma mulher tem seu nome: família.
Assim é o plano de Deus sobre o qual está a base de uma sociedade sadia.
Confira também:

Nenhum comentário:

Postagens populares

Google Plus


Google+
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...