Pesquisar este blog

Compartilhe



domingo, 29 de abril de 2012

AS INDULGÊNCIAS (Terceira parte) - Pe. Alírio Pedrini

Fonte: http://dehonbrasil-aliriopedrini.blogspot.com.br/
Pe. Alírio Pedrini
AS INDULGÊNCIAS (Terceira parte)


Penso que agora fica mais fácil compreender as indulgências. A indulgência é um “indulto”, um “perdão” recebido de Deus, por meio da Igreja, um perdão das “penas temporais” devidas por causa dos pecados veniais ou das sequelas dos pecados mortais perdoados. Para compreender melhor, lembremos o “indulto de Natal” dado aos presos de bom comportamento. Por causa da Festa do Natal, presos que estariam quase no fim de sua pena, por causas do seu bom comportamento recebem o perdão do tempo que ainda faltaria a cumprir, e são libertados. Isto é “indulto – indulgência – espiritual”. 
“Indulgência, portanto, é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa, que o fiel, devidamente disposto, em certas e determinadas condições, alcan-ça por meio da Igreja, a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica, com autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos. (Catecismo da Igreja Católica, n.1471)
Vejamos essa explicação do Catecismo: 1º Indulgência é a remissão, é o perdão, é o indulto das penas temporais devidas pelos pecados perdoados, 2º que o católico, batizado, não excomungado, pode receber, 3º por meio da ação da Igreja, que é a “comunicadora” da redenção, e como tal, por sua autori-dade concedida por Jesus, distribui e aplica as indulgências, 4º usando o tesouro espiritual acumulado por Jesus com sua morte e ressurreição, e pelas dezenas de milhares de Santa Missas celebradas a cada dia, bem como pelos méritos dos Santos que estão nos céus e os que se encontram ainda na terra.
Utilizando um comparação bem humana, podemos dizer: Pela morte redentora de Jesus e pela santidade dos Santos, bem como também por toda ação espiritual da Igreja, “criou-se” um grande tesou-ro espiritual cheio de “vales espirituais”. A Igreja foi encarregada de administrar esse tesouro divino e de poder tirar esses “vales” para “pagar” o indulto das “penas temporais” devidas pelos fiéis, por causa de seus pecados. Portanto as indulgências são “os vales espirituais”, que um católico retira do tesouro da Igreja para “pagar” o perdão das “penas temporais” devidas por ele. A igreja, como administradora, ensina o que fazer para “se poder retirar os vales espirituais” a fim de “pagar” o indulto, o perdão, a purificação dos pecados veniais não perdoados e das penas temporais por causa das sequelas dos pecados. 
As indulgências (os vales...) podem ser adquiridas em próprio favor. Há indulgências que podem ser também aplicadas às santa Almas do Purgatório.
Condições para receber uma Indulgência plenária (uma vez ao dia): 1º Confessar-se e rejeitar todo pecado. (Ou estar em estado de graça, consciente) 2º Participar da Missa e Comungar com o desejo de receber a Indulgência (uma Missa e Comunhão para cada indulgência). 3º- Rezar pelo Papa ao menos: um Pai Nosso, Ave Maria e Glória. 4º Realizar uma destas atividades: a) Via Sacra na igreja diante dos quadros, b) - Rezar o Terço em família diante de um oratório, c) Realizar uma adoração a Jesus sacramentado por meia hora, d) Fazer uma leitura meditada da Sagrada Escritura por meia hora.
Aprender a lucrar indulgências é uma bênção.


Fonte: http://dehonbrasil-aliriopedrini.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postagens populares

Google Plus


Google+
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...